Marcelo Dadian, diretor da Suahouse. Foto: Divulgação.

A Suahouse, empresa de tecnologia que atende incorporadores imobiliários, integrou seu sistema HouseCRM como o Google para permitir o acompanhamento de leads desde a origem até o fechamento pelo Google Analytics.

Anteriormente, era possível conhecer qual o canal de mídia que originou a venda. O Google Universal Analytics agora permite que esta mensuração seja feita em todas as mídias, inclusive offline, e em cada uma das etapas de oportunidade do cliente durante a compra de imóveis.

Com a ferramenta é possível avaliar o andamento do lead dentro do funil de compra, sabendo não somente qual lead que converteu  em venda, mas também o comportamento do mesmo durante as outras fases de oportunidade: sem contato, prospecção, qualificação, proposta. 

“Esta integração ao HouseCRM  permite avaliar e direcionar nossos clientes e suas agências a investir nas mídias  que efetivamente tem grande possibilidade de conversão”, explica Marcelo Dadian, diretor da Suahouse. 

Segundo ele, iniciativas como esta mostram a maior maturidade do mercado imobiliário em busca de soluções de gestão e estratégia .

“Agora conseguimos dar maior transparência aos resultados obtidos pelas soluções oferecidas pelo Google e Youtube e sua utilização pelo mercado mostra um avanço considerável na qualidade dos critérios de mensuração”, afirma Igor Lima, head de Mercado Imobiliário do Google. 

O HouseCRM é o primeiro sistema de CRM no Brasil a integrar com o Google Universal Analytics.

A Suahouse.com possui aproximadamente 40 clientes entre incorporadores e imobiliárias de lançamento com o HouseCRM. Entre os clientes estão Alphaville, Rossi e João Fortes. Além da matriz em São Paulo, a Suahouse possui filiais no Rio de Janeiroe em Ribeirão Preto. 

A empresa foi adquirida em novembro pelo Grupo VivaReal, formado pelo portal de imóveis VivaReal, o site de decoração Viva Decora e a assessoria de crédito imobiliário VivaFinanciamento.

O VivaReal já levantou R$ 170 milhões em cinco anos, de fundos de capital de risco nacionais (Monashees Capital) e estrangeiros (Kaszek Ventures, Valiant Capital, Dragoneer Investment Group e Spark Capital). 

A empresa estima alcançar um faturamento de R$ 50 milhões em 2015, quase três vezes superior a 2013.