Governo chinês quer responder ao barulho americano. Foto: flickr.com.

O governo da China determinou que todos os órgãos públicos do país passem a usar apenas tecnologia nacional. 

De acordo com a site Financial Times, os órgãos do governo devem substituir seus computadores e softwares estrangeiros por equipamentos domésticos dentro de três anos.

A instrução explica que 30% das substituições precisam acontecer em 2020, 50%, em 2021 e os 20% restantes em 2022. 

Entre as prejudicadas, estão empresas americanas como Microsoft, HP e Dell. Segundo o jornal, deverão ser substituídos entre 20 milhões e 30 milhões de equipamentos.

Boa parte da administração federal da China já usa computadores Lenovo, marca chinesa que comprou a divisão de dispositivos da IBM em 2005 e de servidores em 2014. 

O Windows, muito utilizado no país, deverá ser trocado pelo Kylin OS, um substituto local que ainda tem ecossistema em desenvolvimento.

A medida pode ser considerada uma resposta aos Estados Unidos, que baniram empresas chinesas de licitações em 2019.

Em maio deste ano, a Huawei, por exemplo, foi adicionada a uma lista negra por Donald Trump e passa a fazer parte de um bloqueio comercial imposto pelo país.

Assim, a empresa ficou impedida de vender seus produtos, adquirir componentes ou negociar com companhias americanas sem autorização do governo.