Empresas estão vendo que dados valem dinheiro. Foto: divulgação.

Um estudo divulgado pelo Gartner nesta semana, destacou que 30% das empresas, em função das demandas financeiras de armazenamento e gerenciamento de Big Data, deverão transformar seus ativos de informação em dinheiro até 2016.

Segundo o levantamento, esta troca, direta ou indiretamente, se dará por comercialização ou venda direta.

Conforme observa o vice presidente de pesquisa no instituto, Doug Laney, as companhias demoraram para perceber e somente agora avaliaram o real valor de mercado destes ativos dentro de seus setores.

Esta inexperiência ao lidar com Big Data e desenvolver produtos de informação criará uma oportunidade para o crescimento de intermediários especialistas, que agirão como corretores ou vendedores de informação.

As novas oportunidade de faturamento com informação farão com que os desenvolvedores de produtos web busquem o máximo de coleta de dados de uso, localização e sistema possível, afirma Laney.

"Consumidores e empresários precisam reconhecer que seus usos, localizações, perfis e atividades possuem agora um valor de mercado tangível. Eles devem preservá-los e garantir que, quando divulgados, eles recebam serviços, produtos ou dinheiro por isso", analisa.

No entanto, esta discussão ainda renderá muita polêmica em relação às questões de privacidade online, aqui e lá fora.

Inclusive, recentemente, a Comissão Federal de Negócios norte-americana emitiu intimações para agremiadores de informação online para que informassem sobre os usos destes dados