As startups poderão utilizar o novo Centro de Inovação da Santa Casa. Foto: DIvulgação.

A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre firmou um acordo com a Techtools Ventures para lançar o Programa de Inovação em Saúde da instituição.

O Programa de Inovação será estruturado em três níveis e tem como objetivo reduzir o impacto causado pelos atendimentos ao Sistema Único de Saúde na Santa Casa de Porto Alegre. Em 2017, o hospital gaúcho investiu R$ 145 milhões no SUS.

“Naquele ano, realizamos mais de 880 mil consultas, 60 mil procedimentos cirúrgicos e mais de seis milhões de serviços auxiliares de diagnóstico e tratamentos. Dentre estes indicadores, 66% dos pacientes foram provenientes do SUS, impactando em um déficit de R$ 145 milhões para a instituição. Iremos rever todos os nossos processos e tecnologias a fim de assegurarmos níveis de qualidade ainda maiores em um dos mais modernos complexos hospitalares do país”, detalha Jader Pires, diretor administrativo da Santa Casa de Porto Alegre.

A iniciativa tem como meta captar R$ 100 milhões em três anos, acelerando mais de 100 startups nacionais e internacionais. O objetivo também é investir em aproximadamente 20 empresas.

A atuação em conjunto com a Techtools possibilitará abrir ao mercado a captação de recursos para investimentos em inovações. 

“Para o primeiro ano, a meta será captar R$ 30 milhões em projetos para a saúde. Com isso, o Centro de Inovação da Santa Casa reforça sua liderança em inovações em saúde que serão aplicadas em neste complexo hospitalar. No futuro, esperamos que estas inovações sejam expandidas para todas as Santas Casas do país, que possuem gestões independentes, bem como aos mercados brasileiro e mundial", aponta Pires.

Com base na metodologia Strem, da Techtools, o Programa será baseado em três níveis: Criação de Inovação, focado em projetos baseados em propriedade intelectual de alto potencial com pesquisa e desenvolvimento acadêmico; Construção, para aceleração de projetos e startups em fase pré-operacional e Aplicação, que busca o uso de tecnologias e produtos inovadores em fase operacional.

“As startups poderão desenvolver e validar suas soluções a partir do contato com o hospital, que é um ambiente propício. Para a Santa Casa, qualquer melhora de performance causada pelas soluções vai levar à redução de custo e do déficit do SUS”, detalha Pires.

Para a estruturação deste Programa, a Techtools terá um papel fundamental no compartilhamento de metodologia e expansão de alianças estratégicas, relações com as indústrias e captação de recursos.

“Ao unir o ecossistema de saúde da Santa Casa com as mais de 100 conexões da Techtools no Brasil e no mundo, como os centros de transferência de tecnologia (Technology Transfer Offices), parques tecnológicos, incubadoras e aceleradoras, empresas e governos, teremos a chance de aplicar esta metodologia no Rio Grande do Sul e estar conectados com o que existe de mais inovador no mundo”, declara Julio Matos, diretor geral da Santa Casa.

O programa contemplará startups em diferentes estágios de maturidade. 

Serão selecionados 20 projetos em estágio inicial (Criação de Inovação) para receber investimentos entre R$ 50 mil a R$ 200 mil. 

Estas startups poderão contar com a infraestrutura física do novo Centro de Inovação da Santa Casa de Porto Alegre, que será inaugurado no início de 2019, com 70 posições de trabalho, ambientes para simulação realística, FabLab e outras tecnologias disponíveis.

Nos níveis pré-operacional (Construção) e operacional (Aplicação), serão selecionadas 10 startups em cada um, para receberem investimentos ao longo de três anos.

O primeiro chamamento público para o programa deve ser lançado em abril.

A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre é o maior complexo hospitalar do Rio Grande do Sul, integrado por três hospitais gerais e seis especializados. A organização funciona como o hospital-escola da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre desde a sua fundação.