Vista aérea do Hospital das Clínicas. Foto: divulgação.

O programa IdeiaGov, hub de inovação do Governo do Estado de São Paulo, recebeu um aporte de US$ 870 mil (cerca de R$ 4,6 milhões) do BID Lab, braço de inovação do Banco Interamericano de Desenvolvimento.

Criado em 2020, o IdeiaGov é liderado pelas Secretarias de Desenvolvimento Econômico e de Governo do Estado de São Paulo, assim como pela Procuradoria-Geral do Estado. O hub é operado pelo Impact Hub e conta com diversos parceiros.

Entre eles, estão a Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo e a Companhia de Processamento de Dados de São Paulo (PRODESP).

Com os novos recursos, o hub deve financiar itens como a prototipagem e compra de insumos para o desenvolvimento de soluções que serão implementadas no InovaHC, núcleo de inovação do Hospital das Clínicas.

Serão apoiados pelo menos dez projetos que buscam solucionar problemas de saúde pública originados no enfrentamento à pandemia da Covid-19, mas que também terão aplicações em outras áreas.

Entre eles, estão ferramentas para usar inteligência artificial no diagnóstico da doença e de outras enfermidades através de imagens de raio-x e tomografia, aplicações de internet das coisas para equipamentos de UTI e digitalização da jornada do paciente no hospital. 

Essas propostas foram apresentadas por startups, consórcios de empresas, instituições científicas e tecnológicas ao longo de oito editais abertos no site do programa IdeiaGov. 

"Este aporte é essencial para o desenvolvimento da ciência e tecnologia e um passo fundamental para o governo na revolução digital na saúde. O recurso irá ajudar a impulsionar soluções inovadoras, principalmente neste período difícil em que estamos vivendo”, afirma Patrícia Ellen, secretária de desenvolvimento econômico de São Paulo.

Agora, os selecionados terão acompanhamento metodológico por parte da equipe do BID Lab, braço de Inovação do BID, e serão guiados para que as soluções amadureçam, sejam testadas, aperfeiçoadas e possam ser lançadas nos mercados nacional e internacional.

Durante o processo, os participantes também desenvolvem projetos piloto, ganhando acesso às instalações do Hospital das Clínicas de São Paulo e aos pesquisadores da Faculdade de Medicina da USP, além de outros órgãos vinculados ao governo paulista.

"Com o ecossistema de pesquisa e inovação mais robusto da região, o Brasil é capaz de prover soluções para problemas que afligem não só o território nacional, mas o mundo, e é preciso estimular esse potencial criativo", afirma Morgan Doyle, representante do BID no Brasil.

Criado em 1959, o Banco Interamericano de Desenvolvimento tem sede em Washington, nos Estados Unidos, e conta com outros 28 escritórios na América Latina e Caribe. Através do BID Lab, já teve mais de US$ 2 bilhões em projetos aprovados em 26 países da região.