Marcel Campos. Foto: divulgação.

Depois de causar sensação no mercado de smartphones no final de 2014 com o lançamento do Zenfone, o plano da Asus para 2015 é aproveitar o bom momento da marca, tanto nos celulares como em suas outras linhas.

Segundo a fabricante taiwanesa, 2014 foi um divisor de águas para a marca no Brasil. Lançado em outubro, o Zenfone 1 (Zenfone 5 na Ásia) teve seu estoque esgotado em cerca de três horas na internet.

Na Black Friday do ano passado, a empresa disponibilizou um lote promocional de mil unidades por R$ 499 - o preço normal do produto é R$ 699. Nesta oferta, as unidades foram esgotadas em 3 segundos.

"Foi um sucesso totalmente acima do esperado e até hoje estamos lidando para suprir a demanda pelo produto", afirma o gerente de marketing da Asus no Brasil, Marcel Campos.

Para promover o aparelho, a companhia pela primeira vez investiu pesado em marketing para apresentar o aparelho aos consumidores, chamando a apresentadora Sabrina Sato para encabeçar a campanha publicitária do aparelho.

"Em cima disso, trabalhamos a proposta de vender um aparelho com especificações de aparelhos mais avançados em uma faixa de preço inferior. Foi algo que atraiu bastante o consumidor médio", avalia Campos.

A empresa já está preparando no exterior - mais especificamente o norte-americano - o lançamento do Zenfone 2. O produto deve chegar nas lojas ianques em abril e para o Brasil, o plano é trazer a novidade no segundo semestre.

De acordo com Campos, o Zenfone 2 chegará para competir com aparelhos nas faixas superiores de preço, como os da Samsung e até mesmo os da Apple. Segundo revelado pela marca da CES 2015, realizada no mês passado em Las Vegas, o novo Zenfone trará recursos avançados para um smartphone, como 4GB de RAM.

Um dos meios para impulsionar estes produtos será a venda direta ao consumidor via e-commerce, estratégia iniciada com o lançamento do Zenfone e que deve ser reforçada ao longo de 2015.

Entretanto, a concorrência promete ser acirrada. No mercado Android, a companhia terá que lidar com a resistência de marcas expressivas como Samsung e LG, atuando tanto nas faixas mais maixas de preço, quanto no premium.

Para completar, marcas de peso no segmento de smartphones baratos estão afiando suas garras para atacar o mercado brazuca. Uma delas é a Xiaomi, campeã de vendas na Ásia, que já anunciou a vinda de sua operação para o Brasil.

"Nas faixas mais baixas de preço é comum que haja uma guerra de preços, e isso vai se intensificar. Cada lançamento será uma nova prova para as marcas, mas estamos otimistas com o que temos a oferecer para fidelizar o público", comenta Campos.

OUTRAS LINHAS

Segundo Campos, o hype da marca também pode contribuir para impulsionar  a Asus em outros segmentos. Para o executivo, a empresa já se encontra estabelecida nacionalmente no mercado de PCs e placas-mãe no varejo. O desafio para o futuro é também crescer com estes produtos para o segmento corporativo.

O movimento se relaciona com a mudança de postura feita nos últimos anos por marcas como HP, que estão cada vez mais focando sua produção de PCs (desktops e notebooks) para clientes corporativos, com produtos e serviços dedicados.

"Este ano, estamos trazendo para o país a nossa linha Pro, dedicada para estes clientes. Acreditamos que temos muito a crescer neste segmento com nossa oferta de PCs all-in-one e desktops, assim como monitores de alto desempenho. Ainda temos uma presença tímida, mas queremos mudar isso", destaca o gerente.