Tatiana Pezoa, CEO e fundadora da Trustvox. Foto: Divulgação.

Fortalecer a sinceridade no comércio eletrônico, combater opiniões falsas e aumentar a confiança do consumidor no e-commerce brasileiro são os objetivos da Trustvox, plataforma que assegura a veracidade de reviews de produtos. 

Com um ano de mercado, a ferramenta está presente em pouco mais de 200 lojas virtuais. Até o final de 2015, a meta é atingir 600 portais de e-commerce.

Para isso, a empresa foca em parcerias com plataformas voltadas ao segmento.

“Nossa ferramenta tem que ser integrada ao sistema usado pelas lojas. Hoje são 5 parceiras, como VTEX, Rakuten e Ciashop, mas esperamos chegar ao final do ano com 12”, afirma Tatiana Pezoa, CEO e fundadora da Trustvox.

A tecnologia criada pela empresa estabelece um fluxo inteligente que permite que somente os clientes que realmente compraram no e-commerce opinem e avaliem suas experiências de compra e produtos recebidos. 

Dessa forma, a Trustvox permite o enriquecimento do conteúdo de cada página de produto por meio de um widget com opiniões sinceras.

“Alguns e-commerces, especialmente mais novos, escrevem reviews falsos ou contratam empresas que fazem isso para dar a impressão de movimento no site. As lojas que usam a ferramenta da Trustvox acabam mostrando para os consumidores que não utilizam esse tipo de recurso”, comenta Tatiana.

De forma independente e em nome da loja, a Trustvox contata os consumidores após a compra no e-commerce para coletar reviews. Com isso, a empresa afirma que consegue opiniões de 20% a 30% dos clientes.

Segundo a CEO, a ferramenta possibilita que o atendimento ao cliente seja incrementado, pois a loja tem um controle maior sobre as opiniões e pode dar mais atenção às possíveis queixas.

“Em pesquisa que fizemos dentro dos nossos clientes antes da implementação da plataforma, detectamos que em quase 30% dos reviews não havia como dizer se quem escreveu de fato comprou ou teve o produto. A Trustvox acredita que a sinceridade e a transparência com o consumidor valem muito mais do que o número de reviews”, explica Tatiana.

Lojas como Polishop, Staples Brasil, Camisaria Colombo, Shoulder, Época Cosméticos e Trifil já fazem parte da carteira de clientes da empresa. Com isso, a Trustvox espera fechar 2015 com faturamento de R$ 1 milhão.

Os portais de e-commerce interessados em contar com a ferramenta participam de um período de teste de 30 dias, em que a Trustvox avalia o volume de vendas da loja.

A partir disso, é definido o valor a ser cobrado pelo sistema, que pode ser mensal ou anual, e variado de acordo com a quantidade de produtos comercializados. Segundo Tatiana, a cobrança pode ser de R$ 99 até R$ 20 mil, dependendo do tamanho do e-commerce, que está ligado ao número de reviews.