Algar investe no m-payment. Foto: divulgação.

A Algar Telecom está testando uma nova solução de pagamento móvel, usando o Unstructed Supplementary Service Data (USSD), tecnologia que empresa o canal de voz dos aparelhos para a troca de dados.

Segundo destaca o Mobile Time, o sistema é diferente do SMS por criar um canal de comunicação em tempo real entre o celular e o servidor da aplicação, sem a necessidade de armazenar ou repassar os dados.

De acordo com a coordenadora de produtos da Algar, Zaima Milazo, a vantagem da tecnologia é que ela pode ser empregada em quase 100% dos atuais aparelhos GSM.

"O resultado (dos testes) foi tecnicamente excelente", afirma a coordenadora, explicando que os experimentos foram conduzidos com cerca de 80 clientes, em 20 estabelecimentos comerciais.

No teste, o cliente (que tinha uma "conta bancária" virtual na Algar) envia uma mensagem para o servidor da operadora, que valida as informações do aparelho e estabelece a conexão.

Depois disso, o cliente deve informar o valor da compra e o número do telefone do comerciante, que receberá uma mensagem com os dados da venda e deverá validá-la.

Para o serviço, a taxa cobrada pela Algar é de 2% e que em 72 horas a quantia já chega na conta do comerciante. Para Zaima, a solução é uma alternativa mais barata ao cartão de crédito, cujas taxas, segundo a executiva, são mais alta.

Mesmo com a praticidade do novo sistema de pagamentos móveis, uma lei a ser botada pelo Congresso Nacional definirá o futuro destas tecnologias e de quais impostos incidirão sobre estas transações.

Se a solução for entendida como telecom e o imposto for o ICMS, Zaima afirma que não há modelo de negócio viável.

Um grupo de trabalho chegou a ser formado pelo Ministério das Comunicações para entrar nos detalhes deste assunto. O Banco Central havia prometido apresentar uma proposta de Medida Provisória ao Congresso no início de 2013.