Luiz Gerbase.

A Altus vai reforçar na sua presença internacional a partir de maio, quando Fernando Trein, diretor de marketing internacional, abrirá uma operação da companhia gaúcha de automação industrial e controle de processos em Malmö, na Suécia.

Com 318 mil habitantes, Malmö é a terceira maior cidade sueca e também o polo industrial do país. O município é conectado por uma ponte com Copenhague, a capital da Dinamarca.

Hoje, o acesso da empresa ao mercado europeu se dá através da Beijer Electronics, companhia sueca com a qual a Altus mantém parceria há mais de 10 anos, atingindo principalmente a região da Escandinávia. 

A meta de Trein é mapear novas oportunidades e avançar nas negociações com empresas de países como Rússia, Israel, Eslovênia, Portugal, França, entre outros.

O profissional é um prata da casa da Altus, onde entrou como trainee em 2002, passando depois para a área de pesquisa e desenvolvimento da companhia, onde liderava a equipe desde 2010.

Na outra ponta do plano, Mario Weiser, diretor de novos negócios, tem a tarefa de identificar novos parceiros, integradores e oportunidades de negócio nos vizinhos latino-americanos.

“A exportação será uma peça-chave na estratégia de crescimento da empresa e uma importante parcela de nosso faturamento a partir deste ano”, afirma o presidente e cofundador da empresa, Luiz Gerbase.

O embrião deste processo já havia sido lançado em 1997, com a inauguração da Altus Argentina, primeira representação da empresa na América do Sul, e, agora, com o novo plano de internacionalização da marca, esse projeto começa a crescer e ganhar destaque. 

“Com o alinhamento do novo plano de internacionalização da empresa, no final de 2015, passamos a buscar novos integradores e representantes pelos países vizinhos. Desde então, já fechamos parcerias com empresas da Argentina, Uruguai, Chile, Venezuela, Peru e México”, detalha Weiser.

Recentemente, a Altus fez uma alteração no seu comando com Fabiano Günther Favaro, ex-diretor financeiro da empresa, assumindo o cargo de CEO. Favaro é outro profissional de carreira, tendo entrado na empresa em 2000.

Com a movimentação, Luiz Francisco Gerbase, um dos fundadores da empresa, permanece com o cargo de presidente, focando sua atenção em novos negócios e promoção de exportações.  Favaro deve tocar a parte operacional e de execução de projetos.

O foco em exportação não é à toa. Atualmente, vendas para fora do país já representam 10% do faturamento da companhia, que teve uma receita bruta de R$ 117,4 milhões em 2014, alta de 9,3%.

Com alta do dólar, a empresa recebeu um incentivo e tanto na sua competitividade lá fora. Gerbase destaca a qualidade do produto como o fator definitivo da aposta na internacionalização.

“Estamos vendo que o câmbio não tem favorecido boa parte da indústria. O que faltam são produtos de classe mundial como os nossos controladores”, aponta o empresário gaúcho.

Os controladores da Altus são uma peça fundamental de projetos de automação (Gerbase faz uma comparação com os PCs no universo corporativo) podendo ser usados nas áreas de óleo e gás, infraestrutura, transporte, indústria e utilities em geral.

A área de óleo e gás parece um dos mercados promissores para internacionalização. Em 2011, a Altus fechou um contrato de R$ 115 milhões da Petrobras, o maior negócio da história da companhia gaúcha.

A empresa automatizou oito plataformas da Petrobras, pelas quais passam hoje 15% da produção da estatal brasileira.