Ir ao Velho Continente vai ficar um pouco mais complicado. Foto: Pixabay.

O Brasil faz parte de uma lista de 60 países cujos habitantes precisarão pedir uma autorização prévia para viajar para países da União Europeia a partir de 2021.

O chamado European Travel Information and Authorization System (ETIAS), será um cadastro online a ser feito antes de viajar para os países da UE para moradores de países que até agora recebiam um visto de turista com duração de três meses na chegada.

O ETIAS será bem mais fácil que um visto, constando de um formulário a ser preenchido em 10 minutos e no pagamento de uma taxa de 8 euros por uma autorização válida por até 3 anos. 

A ideia é filtrar potenciais riscos de segurança ou de imigração. A expectativa é que sejam aprovadas 95% das aplicações.

Além do Brasil, também estão na lista dos países que terão que preencher o cadastro Estados Unidos, Canadá, Nova Zelândia, Israel e Singapura.

Claro que há grandes diferenças entre os países e que as rejeições de autorização podem ser distribuídas em porcentagens diferentes, servindo como um passo preliminar antes de implementar a necessidade de um visto.

Diferentes países da União Europeia impediram a entrada de 2.225 brasileiros no continente nos primeiros seis meses de 2018, um aumento de 45% frente ao mesmo período do ano passado.

Os dados são da Agência de Fronteiras da UE, conhecida como Frontex. A alta foi a maior registrada no período entre todos os países e coloca o Brasil no top 10 dos mais barrados ocupando a nona posição. 

O percentual de brasileiros no total ainda é pequeno, ficando perto de 2%. Ao todo, nos seis primeiros meses do ano, os europeus impediram a entrada de 93 mil estrangeiros, a maioria cidadãos de Ucrânia, Albânia e Rússia. 

Também no total de visitantes a cifra não é expressiva: em 2017, visitaram a Europa um total de 345 mil brasileiros.

Mesmo assim, o número de brasileiros barrados está em alta, em um ciclo que parece espelhar a situação econômica do país e a consequente vontade de tentar uma vida fora.

A partir de 2008, o total de brasileiros barrados na Europa caiu, passando de 11,1 mil, em 2008, para 4,7 mil, em 2011, e 3 mil, em 2012. Dois anos depois, a quantidade de brasileiros impedidos de entrar na UE foi de apenas 2,2 mil. 

A primeira alta de fato foi registrada em 2017, com 3,1 mil brasileiros barrados. Em 2018, essa tendência ganhou força.