Michael Waller. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Grupo Cybersul, de Porto Alegre, prepara-se para dobrar de tamanho em dois anos, e para isso aposta em dois pilares: expansão física e da oferta.

O faturamento, o grupo não divulga, mas alguns indícios apontam que tem sido alto: só em 2012, a companhia somou 714 clientes ativos, número que deve passar dos 1 mil este ano, conforme conta um dos fundadores, Michael Waller.

“Em cinco anos, vimos nossa base saltar de 300 clientes para o que é hoje, sendo a maior parte deles de fora do estado. O número de colaboradores passou de 20 em 2008 para quase cem este ano”, comenta o executivo.

Ele também relata que quando a unidade atual da empresa em Porto Alegre foi fundada, há cinco anos, a ideia era dobrar de tamanho, mas já aumentou quase cinco vezes.

Isso tornou imprescindível a ampliação, e é nela que a Cybersul vem investindo agora, com expansão para um prédio de mais de 1 mil metros quadrados.

A expansão também chega à filial de São Paulo, que foi transferida de um escritório na avenida Paulista para um sobrado de 150 metros quadrados no bairro Jabaquara, abrigando uma equipe de vendas que também aumentou.

“Investir em estrutura pode ser contraditório para uma empresa cuja prestação de serviços é virtual, mas é justamente o contrário. Para dar conta da demanda, é preciso pessoal de atendimento, suporte, linhas telefônicas etc, o que requer uma base moderna e modulável”, afirma Waller.

A empresa é especializada na prestação de serviços de TI para pequenas e médias empresas, mas o executivo garante: consegue fazer frente a gigantes, especialmente da área de software de gestão.

O diferencial, segundo ele, é o nível de personalização oferecido pelas soluções, que podem ser customizadas pelo próprio usuário, o que reduz o preço final.

Por falar em preço baixo, a empresa também ampliou a oferta para este lado, com a recente criação da Ríade, agência de serviços digitais de TI e comunicação voltada a fornecer desde a manutenção de redes sociais até a criação de lojas virtuais.

“Podemos oferecer uma solução completa, com custo bem acessível”, conta o sócio da Cybersul. “O diferencial é o formato de pagamento: uma taxa básica de instalação e um pequeno percentual sobre as vendas”, explica.

Ele detalha que, com este modelo, a empresa minimiza riscos sem a necessidade de grandes investimentos por parte do cliente.

No grupo, a marca se soma à Cybersul, com softwares de gestão, Midia Pontocom, especializada em marketing digital, e Mumbai, desenvolvedora de softwares.

Outra receita para continuar crescendo é o Programa Parcerias.

Criada há pouco mais de um ano, a iniciativa já viabilizou o estabelecimento de 14 unidades de negócios no país, em sistema de franquias, e este ano a meta é chegar a 30 operações.