Vivo, TIM, Claro e Oi, as quatro maiores operadoras de celular do Brasil, e a sueca AINMT (Net1), entraram na Anatel com um pedido de impugnação da licitação do 4G.

O alvo do documento, apresentado na última quinta-feira, 10, à noite, é o edital.

Não foram reveladas as alegações pela Anatel. Segundo o jornal Valor Econômico publica, no entanto, o objetivo não é cancelar o certame, mas pedir e sugerir detalhes para tentar barganhar algumas garantias.

De acordo com a Anatel, os pedidos das empresas serão julgados até o dia 5 de junho pelo conselho diretor. O leilão está marcado para o dia 12 do mesmo mês.

Anteriormente, as teles chegaram a elogiar o edital, que traz o preço mínimo em torno de R$ 3,8 bilhões para todos os lotes de frequências.

Além disso, até o estabelecimento de uma data para a concorrência, as operadoras estavam divididas, ainda que não igualitariamente.

Vivo, TIM e Oi se posicionavam contra o leilão, argumentando que poderiam usar os valores da compra das faixas para investir na infraestrutura já existente da tecnologia 3G, ou mesmo da 3G+, que já representa um ganho de velocidade frente à geração anterior.

A Claro posicionava-se a favor do leilão, na data prevista pelo governo.