Foto: flickr.com/photos/chrisdlugosz

Previsão divulgada pelo IDC indica que 1,8 bilhão de celulares serão entregues ao redor do mundo este ano – um crescimento de 4% sobre o ano passado, mas a maior desaceleração desde 2009, quando as vendas caíram em 13%.

O IDC acredita que isso acontece por causa da redução da demanda pelos “feature phones” – jargão da indústria para qualquer coisa que não seja um smartphone.

A demanda de feature phones – que representa mais de 61% do total de envios – cairá 10% esse ano, disse o IDC. Muitos dos donos dos dispositivos de “fala-e-mensagem-de-texto” continuam com seus antigos aparelhos.

Em contraste, a demanda de smartphones continua acelerada.

O IDC prevê que os smartphones terão crescimento de 38,8% este ano, para 686 milhões. Essas procuras estão sendo impulsionadas por fatores como subsídios de operadoras, queda dos preços médios de venda e de custos dos componentes.

“O desfile dos smartphone não será tão animado este ano como foi no passado”, disse o analista sênior do IDC Research, Kevin Restivo, em um comunicado.

Nos próximos cinco anos, a demanda de smartphones será dominada por dispositivos que rodam o sistema operacional do Google, o Android, de acordo com previsão do IDC, embora a previsão seja de que sua quota de vendas globais diminua de 61% em 2012 para 52,9% em 2016.

O IDC também prognosticou que a procura dos smartphones baseados no Windows e do iPhone, da Apple, estará empatada em 2016, com ambos tendo aproximadamente 19% de todo o mercado.

Eles disseram que a demanda do Windows será alimentada pela forte presença da Nokia em mercados emergentes.