Matemática, essa desconhecida. Foto: flickr.com/photos/anna_lintelman

Tamanho da fonte: -A+A

Mais da metade (52%) dos brasileiros  não sabe (24%) ou não acerta (28%) a conta de quanto teriam numa aplicação financeira de R$ 100 com juros de 2% após um ano (R$ 102, pessoal).

O resultado faz parte de uma pesquisa feita pela Serasa Experian no primeiro trimestre de 2013 com 2002 pessoas em 142 cidades de todos os Estados brasileiros e Distrito Federal, incluindo capitais, periferia e interior.

Dos 48% que responderam corretamente, a maioria tem curso superior e renda mensal acima de 10 salários mínimos.

Pouco surpreendentemente, ao não entender o retorno de economizar, o brasileiro não poupa.

Dados do levantamento apontam que 69% dos brasileiros não poupa, 35% dos sente mais prazer em gastar imediatamente do que em economizar e 30% dos entrevistados confessam comprar por impulso.

Economizar e conseguir desconto no pagamento à vista não está nos planos de 38% dos consultados, que optam pelo parcelamento.

A pesquisa não revela esse dado, mas parece bastante óbvio que os brasileiros também não entendem os juros embutidos nos longos financiamentos a prazo oferecidos no varejo.

As condutas não variam de acordo com a classe social, renda ou escolaridade, diz a Serasa Experian, sem revelar dados.

Ainda de acordo com a pesquisa, os moradores do Sul declaram ter mais controle sobre as finanças do que aqueles que vivem em outras regiões do país. A Serasa também não dá mais detalhes sobre essa questão, sem dúvida interessante.

FUTURO
Se tudo isso não fosse deprimente o bastante, vale destacar que não há sinais que as futuras gerações serão melhor preparadas para cuidar dos próprios interesses financeiros do que a atual.

De acordo com dados do relatório De Olho nas Metas do movimento Todos pela Educação divulgados nesta terça-feira, 06, apenas 10,3% dos estudantes entre 4 e 17 anos no Brasil sabem matemática proporcionalmente ao seu ano de ensino.

As cifras estão abaixo das metas estabelecidas como adequadas pela entidade, que estabeleciam o objetivo de alunos com o conhecimento no nível do ano de ensino em 19,6%.

E os estudantes não estão melhorando. No relatório divulgado em 2011, com dados de 2009, a porcentagem de estudantes com conhecimento adequado ao 3º ano do ensino médio era 11%, inferior à meta de 14,3%.

Os dados são oriundos do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e da Prova Brasil de 2011.