Na CSN, o Colaborativo viabiliza a gestão nas unidades de mineração, cimentos e portuário. Foto: Divulgação.

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) adotou o Colaborativo para gerenciar a documentação em fase de obras, atendendo aos fluxos de aprovação dos documentos. O software é fornecido pela Construtivo, especializada em soluções para gestão de projetos de engenharia.

“A CSN procurou uma solução que gerenciasse melhor os documentos em fase de obras dos diversos empreendimentos em expansão. Diante do alto volume de projetos futuros e em andamento, buscamos uma ferramenta de colaboração na modalidade SaaS (Software as a Service)” afirma o gerente de TI da CSN, Márcio Ramalho.

A ferramenta viabiliza a gestão de documentos nas unidades de negócios de mineração (Casa de Pedra e Namisa), cimentos (em Arcos) e portuário (Itaguaí). 

Com a solução em operação, foi aprimorada a integração entre os profissionais que atuam nas áreas de projetos, coordenação e obras. 

O processo, que antes era feito através de e-mail, ficava restrito ao responsável que estivesse com o fluxo de aprovação do documento. Hoje, com o Colaborativo, a CSN tem uma base de dados e repositório de documentos únicos, ao qual todos os funcionários envolvidos no projeto podem ter acesso.

“Todo o fluxo de colaboração parte da premissa da aceleração do processo, para que os documentos sejam liberados para as obras”, pontua o presidente do Construtivo, Marcus Granadeiro. 

Entre as funcionalidades disponibilizadas estão a notificação automática aos responsáveis, comentários simultâneos, visualização do histórico dos documentos, o controle de versão e revisão de maneira automática, a funcionalidade de check-in e check-out de desenhos, geração de relatórios, e outras.

Desde o início de suas operações, em 1946, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) desempenha um importante papel na economia brasileira. Privatizada e reestruturada em 1993, a CSN é uma das maiores siderúrgicas em valor de mercado da América Latina.

A Construtivo foi fundada em 1999 pelo Banco Santander espanhol. Em 2004, a operação brasileira se tornou independente. 

Hoje a empresa conta com cerca de 100 clientes ativos, entre eles CSN, Voith, Cyrela Sul, Direcional, Rodobens, Makro, UHE Belo Monte, Rumo, Schahin e Raízen.