Wilson Grava. Foto: divulgação.

A Pure Storage, multinacional norte-americana de soluções de memória em flash para data centers, quer impulsionar seus negócios no Brasil, a partir de um novo desenho de hardware e de serviços.

A empresa anunciou globalmente esta semana o produto FlashArray/m, resultado de um projeto realizado em parceria com a Intel e que coloca o software de storage da emrpesa em um hardware flash projetado internamente pela companhia.

Segundo Wilson Grava, vice-presidente e gerente geral da Pure Storage para a América Latina, a estrutura do FlashArray/m foi projetada em uma única unidade que se conecta com apenas seis cabos.

"Antes nosso software era embarcado em produtos comprados de OEMs, que em média tinham dezoito conexões. Agora temos uma arquitetura que acompanhia de perto a evolução de nossa quarta geração de software de storage", afirmou o executivo.

De acordo com o gerente, em comparação com gerações anteriores da própria marca, a nova linha oferece um aumento de 50% no desempenho, melhoria de 2,6x na densidade, e de 2,4x na eficiência de energia.

Além do FlashArray/m, a empresa anunciou a implementação do Pure1, plataforma única para gerenciamento e suporte de armazenamento baseada em nuvem, incluindo disponibilidade em português.

De acordo com Grava, o Pure1 é um sistema pró-ativo de suporte via cloud, que detecta automaticamente anormalidades no desempenho dos produtos da marca e é capaz de fazer correções sem a necessidade de intervenção humana.

"É algo novo para o segmento e que já planejávamos há anos para os nossos produtos. Agora que temos um hardware 100% nossos, pudemos lançar a novidade no mercado com todas as suas capacidades", afirmou o gerente.

A intenção com os novos produtos é atacar de forma mais intensa o mercado brasileiro, no qual entrou há menos de um ano e vem se estruturando através de um programa de canais.

O plano da companhia é manter índices de crescimento sintonizados com o mercado norte-americano, em uma média de 50% por trimestre. No exterior a companhia já integra o quadrante mágico do Gartner no segmento de all-flash arrays, sendo avaliada atualmente em US$ 3 bilhões.

Atualmente a companhia já conta com oito revendas credenciadas e cinco delas já capacitadas pela empresa nos Estados Unidos. Além disso, a marca tem a Acorp como distribuidora no território nacional.

Embora Grava não revele números de crescimento ou de metas para o mercado nacional, ele estima que a nova oferta deve se alinhar a realidade atual dos gestores de data centers no país.

"As empresas atualmente precisam fazer mais com menos e nao existe data center que não esteja sob esse tipo de pressao. Estamos de olho em verticais como óleo e gás, indústria e governo para levar nossas soluções", afirmou Grava.

Com clientes já em segmentos como varejo e finanças, em fevereiro a companhia abriu um filial em Brasília para impulsionar sua oferta junto ao segmento público, uma grande aposta para Grava.

A companhia já conta com cerca de doze funcionários em sua operação Latam. Inicialmente, a equipe é concentrada na parte de apoio e consultores para grandes contratos. No Brasil, a operação da multinacional é comandada por Wagner Tadeu, ex-CEO da NetApp.