Steve Ballmer. Foto: flickr.com/photos/reefoto-com.

A era do Windows nos desktops está oficialmente terminada para a Microsoft. Em um memorando divulgado pelo CEO Steve Ballmer nesta quinta-feira, 11, a empresa anunciou reformulações importantes em sua estratégia, focando em novos produtos e soluções multiplataforma.

"Hoje anunciamos um realinhamento do alcance da empresa, que nos habilitará a inovar com maior velocidade, eficiência e capacidade em um mundo que muda rapidamente", afirmou o CEO.

Segundo o executivo, a empresa quer expandir o escopo de sua visão, que é de "ajudar pessoas a cumprir seu potencial". Para Ballmer, antes isso poderia ser feito através de um PC, no trabalho ou em casa. Agora, este objetivo se cumpre em outras plataformas.

"Cerca de um ano atrás, abrimos um novo capítulo, lançando o Windows 8 e o Surface, movendo para outros ciclos produtivos, trazendo interfaces consistentes para PCs, tablets, telefones e Xbox - mas ainda temos mais a fazer", declarou.

Ballmer usou a expressão "One Microsoft" para oficializar a posição da companhia como uma fabricante de soluções integradas. O plano é criar um ecossistema de soluções em várias plataformas.

Para o CEO, a Microsoft está se organizando em uma estratégia específica como uma única empresa - não uma coleção de estratégias divisionais.

"Apesar de que ofereceremos dispositivos múltiplos e serviços, a estratégia central será focada em objetivos compartilhados em tudo o que fazemos", explicou.

Para estruturar o novo planejamento, a empresa de Redmond se dividirá em oito núcleos gerais: Engenharia (incluindo supply chain e datacenters), Marketing, Desenvolvimento de Negócios e Evangelização, Estratégia Avançada, Finanças, RH, Legal e COO. Os responsáveis por todas estas áreas responderão diretamente a Ballmer.

A parte de engenharia, agora unificada, se desdobrará em quatro áreas principais: OS (incluindo Windows, mobile e Xbox), Apps, Cloud e dispositivos.

A reestruturação repercute em novos cargos para profissionais-chave da companhia. Por exemplo, Julie Larsson-Green, responsável pelo Windows, agora assume as áreas de hardware e entretenimento da empresa. Terry Myerson, antes à frente da divisão de Windows Phone, agora alcança todos os sistemas operacionais para clientes domésticos.

Embora a mudança de estratégia da Microsoft não seja extamente uma novidade, é interessante notar o posicionamento oficial da empresa quanto a isso. Um dos pais da popularização do PC, a empresa quer sair da sombra do Windows e reforçar sua presença como uma fabricante multiplataforma.

Dinheiro para isso a Microsoft tem. Segundo mostra o balanço da empresa divulgado no início de 2013, a fabricante conta com cerca de US$ 74 bilhões em caixa.

A oficialização deste reposicionamento da empresa é mais um pá de terra no caixão do mercado de desktops, que segue em queda livre. No segundo trimestre de 2012, as vendas mundiais do segmento caíram 11%, conforme aponta o Gartner.

Um teste para esta nova Microsoft é o lançamento do Xbox One, com lançamento previsto para novembro, que quer se destacar como uma plataforma unificada de entretenimento, reunindo televisão interativa e videogame de última interação.

A vinda do Windows 8.1 é outra aposta, otimizando sua interface para tablets e notebooks híbridos, assim como a oferta de soluções na nuvem como o Office 365 e apps cross-device como o Skype.

"Na Microsoft, enxergamos incríveis novas oportunidades. À medida que novos dispositivos estão cada vez mais integrados ao dia a dia, teremos que criar novas e extraordinárias experiências para consumidores".