A Axur irá monitorar possíveis fraudes relativas ao jogos olímpicos no Rio de Janeiro. Foto: Fernando Soutello.

A Atos, parceira mundial de TI do Comitê Olímpico Internacional (COI), fechou parceria com a Axur, companhia gaúcha especializada em segurança, para monitorar possíveis fraudes relativas ao jogos olímpicos no Rio de Janeiro.

Em nota, a multinacional francesa não chega a dizer diretamente o que a Axur vai fazer, mais lista competências da empresa que podem ter uso na Rio 2016, como monitorar e combater websites não oficiais, aplicativos mobile falsos, anúncios pay-per-click, perfis não oficiais em redes sociais e blogs. 

É a primeira vez que a Atos oferece serviços de monitoramento de fraudes digitais. A companhia se tornou fornecedora do COI em 2002, durante os jogos de Salt Lake City, passou por Pequim 2008 e Londres 2012.

“Para a Axur, essa parceria é importante porque nos coloca em um patamar global. Este é nosso primeiro passo para a internacionalização e uma grande oportunidade para mostrar ao mercado europeu a qualidade e competência de nossos serviços e soluções”, explica Marines Ritzel, gerente comercial da Axur.

As possibilidades são mesmo enormes para a Axur. A Atos é uma gigante com faturamento de € 12 bilhões em 2015 e cerca de 100.000 funcionários em 72 países. 

Fundada em 1999, a Axur tem sede em Porto Alegre e filial em São Paulo. Em seu site, a companhia afirma ser “líder no mercado brasileiro” quando o tema é combate a fraudes e crime na Internet e estar “presente” na América Latina, nos Estados Unidos e na Inglaterra.

A companhia não dá muitas pistas sobre quem são seus clientes ou divulga cases na página, o que é uma prática comum entre empresas na área de segurança.

Uma mudança recente na companhia foi a decisão de trazer Jeferson Durand, dono da Prise Consultoria, para assumir o cargo de CEO. Durand é um executivo experiente, tendo começado a carreira como gerente da IBM em Caxias do Sul ainda nos anos 70.

Nos Jogos, a Atos coordena o Centro de Operações Tecnológicas (TOC) para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. A equipe do espaço supervisiona todos os 144 locais olímpicos de competições e não-competições, monitorando e controlando os sistemas de TI que permitem a condução dos jogos.

Com orçamento de aproximadamente R$ 1,5 bilhão, 20% do valor destinado aos jogos, a área de tecnologia da Rio 2016 também tem como principais fornecedores Cisco e Embratel. Os jogos ainda contam com a participação de Omega, Panasonic, Samsung, EMC, Microsoft e Symantec.

Segundo o CIO da Rio 2016, Elly Resende, o projeto está dentro do cronograma, com mais de 80% da implantação da infraestrutura de tecnologia concluída.