BELEZA

Natura aposta na Singu

11/08/2020 09:58

Multinacional poderá adquirir até 100% da startup especializada em serviços de beleza a domicílio.

Tallis Gomes e Deborah Secco.

Tamanho da fonte: -A+A

A Natura, multinacional brasileira do segmento de cosméticos, anunciou um investimento na Singu, startup especializada em serviços de beleza a domicílio criada por Tallis Gomes, fundador do Easy Taxi.

As empresas não revelaram o valor nem os detalhes do aporte, apenas afirmaram que, pelo acordo, “a Natura tem o direito de adquirir 100% da Singu”. Após meses de negociações, a transação foi estruturada pelos escritórios BVA Advogados, Cescon Barrieu Advogados e BMA Advogados. 

Criada em 2015, a Singu reúne em um aplicativo profissionais que oferecem serviços como manicure, pedicure, massagem, depilação, limpeza de sobrancelha e escova. 

A proposta é que os clientes recebam uma profissional em casa ou no escritório 40 minutos após acionar o app. 

Ele funciona todos os dias, das 07 às 22 horas, e está disponível até o momento nas cidades da Grande São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, cobrando uma comissão de 35% por intermediação.

São cerca de 200 mil clientes cadastrados, mais de 3 mil profissionais e mais de 500 mil pedidos já realizados.

Em 2018, a Singu recebeu um aporte de R$ 10 milhões e, em 2019, passou a contar com a atriz Deborah Secco como sócia. Ela se envolve nas tomadas de decisões e associa sua imagem à marca em troca de uma participação acionária.

Com o novo investimento, a Natura está avaliando a melhor forma de ampliar as soluções digitais em seu modelo de negócios por meio da combinação da venda direta tradicional com os meios on-line.

Uma possibilidade que os times têm estudado é que as consultoras da marca, que vendem os produtos de beleza, também possam oferecer serviços como os de maquiadora, cabeleireira e manicure por meio da plataforma.

"O investimento na Singu abre uma nova avenida de serviços em nossa jornada digital, que fortalecerá ainda mais a relação entre as consultoras de beleza e suas clientes", afirma João Paulo Ferreira, CEO de Natura &Co América Latina. 

Já a Singu deve expandir a sua base de clientes e profissionais de beleza. 

"A plataforma da Singu utiliza-se da tecnologia para promover inovação e empreendedorismo, estimulando o progresso social e está bem alinhada com o propósito da Natura. No futuro, podemos expandir a oferta para incluir novos serviços, marcas e produtos", ressalta Tallis Gomes, fundador da Singu.

Fundada em 1969, a Natura é subsidiária da Natura &Co, grupo global de cosméticos que também inclui as marcas Avon, The Body Shop e Aesop. Juntas, as empresas registraram receita líquida de R$ 14,4 bilhões em 2019.

A marca Natura conta com mais de 1,8 milhão de consultoras na América Latina, sendo líder no setor de venda direta no Brasil. Ela ainda tem operações na Argentina, Chile, Colômbia, Estados Unidos, França, México, Peru e Malásia.

Veja também

RANSOMWARE
Light: hackers pedem resgate de R$ 37 milhões

Criminosos deram um prazo de dois dias para o pagamento do sequestro de dados.

EDUCAÇÃO
PUCRS tem aplicativo com UOL EdTech

Voltada para pós-graduação e MBA, solução reúne conteúdo acadêmico com recursos de entretenimento.

SEGURANÇA
Honda e Natura reportam ataques cibernéticos

Com suspeita de ransomware, automotiva tem fábricas paradas em quatro países.

HOME OFFICE
CEO da Natura: não esqueçam de almoçar

Chefe bloqueia a agenda dos funcionários no horário do almoço.

SEGURANÇA
Natura expõe dados de 250 mil clientes

Safety Detectives descobriu vulnerabilidades e avisou a empresa de cosméticos.

GESTÃO DE RISCO
Sigalei recebe aporte de R$ 1,3 milhão

Rodada de investimento foi liderada pelo GVAngels, Allievo Capital e SL Anjos.

EXPERIÊNCIA
Não existe estratégia, novo produto ou solução sem UX

A fidelidade do cliente é o resultado para a marca que investiu. 

CONEXÃO
Oi lança fibra ótica em Foz do Iguaçu

Só no primeiro trimestre de 2020, a operadora investiu mais de R$ 115 milhões no Paraná.

DIVERSIDADE
Por que a imagem de um negro como executivo incomoda?

A imagem de realização profissional precisa estar disponível também com negros.

VOLTA
Fundador da Folhamatic tem nova empresa

Maurício Frizzarin projeta investir R$ 100 milhões até o final de 2021.