Fábio Nunes. Foto: divulgação.

A Navita, companhia nacional especializada em soluções de mobilidade corporativa, aposta em uma nova oferta para atender, de forma integrada, demandas de TI e telecom de seus clientes.

Focada especialmente em PMEs, o Connect é produto de um investimento de R$ 10 milhões da empresa, formado por módulos de software que conectam o ciclo de vida da mobilidade corporativa e telecom, permitindo a gestão e otimização de processos, custos e solicitações.

Entre os módulos estão o Connect TEM (Telecom Expense Management), Connect TEM Mobile, Connect MDM (Mobile Device Management), Connect Ticket e Connect Procurement Portal, reunidos em uma oferta de software como serviço (SaaS) hospedada em data center da Amazon.

“Reunimos todos os serviços em uma única plataforma conectada para aumentar a eficiência, a satisfação dos usuários, melhorar o atendimento e, claro, reduzir os custos para as empresas, principalmente neste momento de crise”, anuncia Fábio Nunes, diretor de Inovação da Navita e responsável pelo lançamento do Connect no Brasil.

Segundo o executivo, a oferta é parte instrumental do plano de crescimento da companhia, que espera dobrar o seu faturamento em 2016, quando a pretende levar a solução de forma mais agressiva ao segmento.

"Lançamos agora em agosto a versão inicial do Connect e já estamos com os primeiro clientes a utilizando. Até o final do ano vamos estruturar nosso plano para ganhar escala com o produto e afinar as funcionalidades", explica Nunes, que não deu números sobre a expectativa de clientes com a solução.

A companhia não revela faturamento. O último dado aberto foi em 2011, quando o resultado foi R$ 19 milhões. A Navita afirma crescer em média 50% ao ano.

O executivo também revela que o Connect será uma plataforma expansível, capaz de receber novas features a cada atualização. "Temos um pipeline de novas funcionalidades definida para os próximos 18 meses", afirmou.

Segundo o diretor, com o novo produto a empresa espera levar suas soluções de mobilidade e gerenciamento de TI e telecom para além dos clientes corporativos. A grande parte da carteira atendida pela companhia - cerca de 120 empresas - são de grande porte.

"Com o Connect, queremos levar uma solução padronizada e acessível para companhias com cerca de 50, 60 posições de telecom, que até então não atendíamos", explicou Nunes.

Para desenvolver a nova oferta e seu plano de expansão, no último ano a empresa firmou acordos com fundos de investimento. Foram três aportes, da DLM Invista, da Intel Capital e da Invest Tech. Os valores destes contratos não foram divulgados.

Além de investir no Connect, a empresa destinará recursos para impulsionar seu programa de canais no país. De acordo com Nunes, a empresa está em processo de reestruturação desta rede, dando o apoio para venda e suporte técnico da nova solução.

"Atualmente temos uma rede de 10 canais atendendo o país todo. Até o ano que vem temos a meta de triplicar este número", destaca o diretor.

A Navita começou a atuar em 2005 como um serviço de administração das contas de telefone e da manutenção dos smartphones de clientes corporativos, principalmente BlackBerrys, mas com o tempo aumentou a atuação para toda a área de telefonia e outras fabricantes de celulares.

Em 2013, a empresa adquiriu a  área de negócios de controle de custos e serviços de telefonia fixa da paulista Informatec – a empresa segue atuando com tarifadores PABX para hotéis – aumentando de 100 para 150 sua carteira de clientes e de 150 mil para 600 mil o número de dispositivos sob sua gestão.

A empresa está bem quando o assunto são endossamentos de mercado. Foi considerada Cool Vendor pelo Gartner e líder e mais inovadora em MDM pela Frost & Sullivan.