HP e Lenovo travando uma batalha de gigantes pelo topo do mercado. Foto: reprodução.

O topo do mercado de PCs agora é disputado por frações de pontos percentuais. Segundo dois diferente institutos de estatística de mercado - IDC e Gartner - o mercado possui diferentes líderes. Para o Gartner, a Lenovo é a nova líder, enquanto o IDC mantém a hegemonia da HP.

Nesta briga de cachorro grande, para o Gartner, a Lenovo agora possui 15,7%, contra 15,5% da fabricante norte-americana. Para o IDC, a HP ocupa 15,9%, enquanto a Lenovo encosta em 15,7%.

Em comunicado à imprensa, a Lenovo comemorou o fato, afirmando que as análises divulgadas reafirmam o crescimento da empresa, que registra altas por 14 trimestres consecutivos, aponta o CEO global da Lenovo, Yuanqing Yang.

"Nós sabemos que o mercado de PCs é altamente competitivo, mas também acreditamos firmemente que existe lugar para um continuado crescimento de lucro", complementa.

No mesmo período no ano passado, segundo o IDC, a HP ocupava 17,4% contra 13,1% da Lenovo. O crescimento da fabricante chinesa desde o terceiro trimestre de 2011 é de 10%. Já a HP teve um revés de 16,4% em seu faturamento.

DOIS GIGANTES

Para o Techcrunch, os números apontam claramente o fim do reinado da HP no mercado de computadores.

"Esta é uma história de dois gigantes, um tropeçando por conta de seu próprio peso, e outro subindo ao topo, impulsionado por sua ambição e atrevimento. A HP perdeu seu caminho nos últimos dez anos por suas turbulências executivas, e a Lenovo aproveitou sua grande oportunidade e partiu ao ataque", observou Matt Burns, do Techcrunch.

Para o Techcrunch, a força da companhia chinesa também é ancorada pelo momento de fraqueza da HP, cuja CEO Meg Whitman só prevê novo crescimento a partir de 2015.

Ao que tudo indica, para os analistas, a briga pelo topo deve continuar, mas se os números de crescimento se mantiverem para o próximo trimestre, 2012 deve se encerrar com um novo líder no mercado dos computadores pessoais.

NO BRASIL

O crescimento da Lenovo também engloba o Brasil. Em setembro, a companhia anunciou a compra da fabricante brasileira CCE por R$ 300 milhões.

O negócio dobrou a participação dos chineses no mercado brasileiro para 7% e está no encalço da Positivo, que fechou o ano passado na liderança do mercado, com cerca de 12%.

Parte da estratégia da Lenovo é chamada de PC+ e foca a expansão da oferta “além PC”, incluindo smartphones, tablets e TVs conectadas.