Sérgio Ricardo Borges

A GoLive, consultoria formada em Curitiba em 2011 por ex-colaboradores da Totvs para atender o mercado Protheus e RM, se tornou uma revenda do software para pequenas e médias Business One, da SAP.

O novo parceiro da SAP entrou no ecossistema por meio da paulista Ramo. Dentro da nomenclatura da multinacional alemã, a Ramo é uma Master VAR, o que significa que ela pode cadastrar e treinar revendas, os chamados EBMs. 

“A empresa conta com experiência na implementação do ERP, equipe de profissionais qualificados, conhecimento do mercado regional e das necessidades dos clientes”, afirma Décio Krakauer, presidente da Ramo Sistemas.

 A GoLive tem um time experiente, que inclui Antonio Molina Neto, ex-coordenador de projetos da Totvs Curitiba e Sérgio Borges, ex-gerente de Atendimento e Relacionamento da Totvs Curitiba.

“O SAP Business One atende a uma nova demanda do mercado que exige gestão e processos com qualidade e preços acessíveis. A oferta contribuirá para o aumento da nossa base de clientes e a expansão dos negócios”, afirma Sérgio Ricardo Borges, gerente de novos negócios da GoLive Consultoria

A paulista Ramo Sistemas consolidou uma posição como uma distribuidora de fato Business One no Brasil.

No último ano, o faturamento da empresa cresceu 29%, para R$ 30,6 milhões. Dentro os novos contratos de B1, pela primeira vez os negócios trazidos pelos canais da empresa superaram a metade, atingindo 60%. 

A empresa já tem 170 desses parceiros no país, entre os quais 40 são pessoas físicas que fazem indicações, conhecidos no jargão do mercado como finders. 

Atualmente, a empresa possui uma base de mais de 460 clientes SAP no Brasil.

A base de empresas usuárias de B1 no país gira em torno de 6 mil, um número significativo (8% da base mundial do produto), mas pequeno frente ao tamanho potencial do mercado e aos 10 anos de presença da solução no país.

Segundo aponta uma pesquisa sobre o mercado de TI feita pela Fundação Getúlio Vargas (EAESP-FGV), a SAP tem 10% de participação no mercado de empresas com até 170 usuários de ERP, contra a 51% da Totvs. A categoria “outros”, soma 27% do bolo total.