Evento é um dos maiores do país na área de software livre. Foto: Kiko Sierich/PTI

O Parque Tecnológico Itaipu divulgou as novas datas da Conferência Latino-Americana de Software Livre e Tecnologias Abertas (Latinoware), marcado este ano para acontecer entre 27 e 29 de novembro, em Foz do Iguaçu, no Paraná.

A programação contará com mais de 100 atividades, entre palestras, minicursos, workshops e mesas redondas, além de um espaço para exposição. São esperados 4 mil participantes para a 16a edição do evento, um dos mais tradicionais do país na área.

No começo de setembro, a organização do Latinoware divulgou uma nota cancelando o evento, previsto inicialmente para acontecer entre 09 a 11 de outubro.

Os motivos não ficaram claros. O cancelamento foi atribuído a “motivos de trâmites contratuais internos” pelos quais não haveria “tempo hábil” para o evento acontecer em outubro.

Em meio à virada do governo federal em relação a software livre, já em curso desde o governo Dilma Rousseff e acelerada nos últimos anos, ficou a suspeita de que a Itaipú teria cancelado a verba.

A suspeita foi reforçada pelo fato da nova gestão de Itaipú estar fazendo cortes em gastos, principalmente em organização de eventos e patrocínios.   

A nota divulgada por Itaipú não faz qualquer menção ao fato do evento estar acontecendo depois da data prevista, ou ser aparentemente uma exceção na política de austeridade do general Joaquim Silva e Luna, o administrador da usina hidroelétrica.

Em seu site, a Latinoware exibe apenas um patrocinador: a Linplast, uma empresa de móveis escolares e auditórios. Não há, portanto, a possibilidade dos recursos para a organização terem vindo de outro lugar.

De qualquer forma, o Latinoware conseguiu evitar o destino do Fórum de Software Livre, que abril foi cancelado em Porto Alegre e não teve nova marcada.

Na ocasião, a ASL prometeu uma novo "local, data e formato" até o final do semestre, o que ainda não aconteceu.

O FISL já havia sido cancelado por falta de patrocinadores em 2017 e aconteceu numa versão muito reduzida em 2018.