A Getnet vai abrir uma unidade no Condomínio de Empresas Inovapucrs. Foto: Camila Cunha – Ascom/PUCRS.

A Getnet, adquiriente de cartões do Santander, vai abrir uma unidade de pesquisa e desenvolvimento no Tecnopuc, parque tecnológico da PUC-RS em Porto Alegre. A sede será instalada no Condomínio de Empresas Inovapucrs, novo prédio do parque inaugurado nesta sexta-feira, 11.

A empresa, uma das maiores no desenvolvimento e gestão de soluções de meios eletrônicos de pagamentos do país, ocupará um espaço de 400m² com a proposta de criar um laboratório de inovações em tecnologia financeira.

Entre 2004 e 2006, a Getnet já teve um espaço no Tecnopuc, voltado para incubação de novos projetos.

Há pouco mais de dois anos, o Santander Brasil fechou a aquisição da Getnet por R$ 1,1 bilhão. Na época, houve especulação sobre uma possível mudança da infraestrutura da empresa do data center da Getnet em Campo Bom, cidade próxima de Porto Alegre na qual a empresa surgiu, para o do Santander, em São Paulo.

Além de manter até hoje a estrutura local, a empresa sinaliza que deve seguir ampliando sua presença no Rio Grande do Sul com a abertura da nova unidade.

Hoje a empresa detém cerca de 7,5% do mercado de adquirência de cartões. Cielo e Rede ainda dominam o setor, registrando cerca de 90% de todas as transações com cartões no Brasil. A fatia de 2,5% restante é dividida entre Vero, Elavon, Global Payments Brasil, Stone e First Data (Bin).

Com a chegada da Getnet, o Tecnopuc pode atrair outras empresas do segmento financeiro, com a empresa do Santander servindo como âncora. O mercado de startups voltadas para o setor financeiro (fintechs) está em expansão no Brasil. De acordo com um levantamento do FintechLab, existem mais de 200 empresas dessa área no país.

A companhia do segmento mais bem sucedida no país até agora parece ser o Nubank, serviço de cartão de crédito que funciona apenas com o app. Outros nomes que devem trilhar um caminho parecido são Banco Original (da holding J&F Investimentos, que controla empresas como a JBS) e o Digio (fruto de uma joint-venture do Bradesco e do Banco do Brasil).

O Condomínio Inovapucrs foi construído com investimentos de R$ 3 milhões do Programa Gaúcho de Parques Científicos e Tecnológicos (PGTEC) e da PUC-RS. A nova estrutura é a primeira do ambiente de inovação da universidade a contar com recursos do governo estadual.

Além de abrigar empresas, o prédio será a nova sede do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da PUC-RS (Ideia) e contará com o Free Zone, um fab lab equipado com impressoras 3D, serras, furadeiras e outras ferramentas que possibilitam ao empreendedor testar ideias e produzir um protótipo.

Rafael Prikladnicki, diretor do Tecnopuc, avalia que o Condomínio Inovapucrs representa mais um passo na qualificação da geração de empreendimentos inovadores dentro do ecossistema do parque. 

“Trata-se de um local para instalação de empresas com potencial de crescimento empreendedor e que precisam se transformar em um empreendimento capitalizado”, aponta. 

O Condomínio de Empresas Inovapucrs abrigará startups recém-saídas do processo de incubação, consolidando a capacidade empresarial e preparando-as para a introdução efetiva da inovação tecnológica.

O modelo integra-se ao processo de pós-incubação, gerido pela Incubadora Raiar, no qual a proposta é intensificar a conexão das startups pré-incubadas e incubadas com os empresários graduados.

Três empresas recém-graduadas da Raiar fazem parte do primeiro grupo de empresas alocadas no Inovapucrs: Goga (desenvolvedora de projetos em realidade aumentada), Tivea (fornecedora de software na nuvem para empresas de cobrança e recuperação de crédito) e RockHead Games (desenvolvedora de jogos digitais).

Para Jorge Audy, pró-reitor de Pesquisa, Inovação e Desenvolvimento da PUC-RS, a inauguração consolida um ciclo representativo para a Universidade.

“Estes ambientes, no conjunto dos espaços do Tecnopuc, estabelecem uma plataforma para a efetivação do posicionamento estratégico da PUC-RS, focado na inovação e no desenvolvimento”, completa Audy.