O Watson vai auxiliar a área de pesquisa da TheraSkin no desenvolvimento de produtos. Foto: Flickr/jenedwards.

A TheraSkin, indústria farmacêutica brasileira especializada em dermatologia, é a primeira empresa da América Latina a utilizar a solução IBM Watson for Drug Discovery. 

A utilização da plataforma de computação cognitiva visa auxiliar a área de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) da TheraSkin no desenvolvimento de produtos.

O Watson for Drug Discovery é uma solução IBM hospedada na nuvem que utiliza a computação cognitiva para disponibilizar visualizações dinâmicas e classificações de pesquisas da área clínica. 

A análise é baseada em evidências extraídas dos mais recentes artigos científicos, periódicos médicos, livros e registro de patentes. A tecnologia de inteligência artificial auxilia cientistas a identificarem relações entre genes, proteínas e medicamentos relacionados às doenças em estudo, agilizando o processo de novas descobertas científicas.

“Com a integração do Watson ao nosso time de PD&I, seremos capazes de avaliar milhares de documentos e literaturas em um intervalo de tempo que nos meios tradicionais seria impossível, bem como gerar novas hipóteses de pesquisa com grande capacidade preditiva”, afirma o gerente de PD&I da TheraSkin, Deli Oliveira.

A empresa utiliza o Watson for Drug Discovery há 2 meses.

“A nossa intenção também é respaldar muitos projetos que estão em fase inicial, consolidar outros em andamento e tornar possível trilhas diferenciadas e ágeis no desenvolvimento de produtos longe daquilo que é óbvio, algo que em Pesquisa pode ser uma grande oportunidade de negócio para as empresas”, completa Oliveira. 

A TheraSkin está presente em mais de 30 mil farmácias no Brasil. Com um portfólio de mais de 46 produtos, a empresa tem um parque industrial de 15 mil metros quadrados em São Bernardo do Campo e produz mais de 7 milhões de unidades por ano.

O Watson for Drug Discovery faz parte do portfólio de serviços da unidade global de negócios IBM Watson Health, que foi lançada em abril de 2015 e possui a proposta de melhorar a assistência ao paciente por meio de projetos com computação cognitiva. 

“Na área da saúde, a computação cognitiva dá suporte a profissionais para que suas decisões sejam cada vez mais baseadas em dados científicos e por fim, mais precisas”, ressalta o líder da unidade IBM Watson Health no Brasil, Eduardo Cipriani.

O Watson foi lançado pela IBM em 2014, a partir de um investimento de US$ 1 bilhão da companhia. A empresa investiu intensamente na área de saúde após lançar o sistema, aplicando mais de US$ 4 bilhões nas compras das companhias Phytel, Explorys e Merge Healthcare.