Daniel Hatkoff, CEO da Pitzi. Foto: Divulgação.

A Pitzi, startup focada em proteção para celulares no Brasil, recebeu uma nova rodada de investimento. O aporte, de aproximadamente R$ 60 milhões, foi liderado por QED Investors e WTI. 

Valiant Partners e Thrive Capital, que já haviam apoiado a startup em rodadas anteriores, também participam do investimento.

Fundada em 2012, a Pitzi atua no mercado de seguro de celular. A empresa já havia levantado cerca de R$ 70 milhões em outras três rodadas de investimento com a participação de Thrive, Kaszek Ventures, Flybridge e DCM.

Criada por Nigel Morris, cofundador da Capital One, a QED Investors já investiu em empresas como Nubank, Credit Karma, ClearScore, Avant, Konfio, Creditas, QuintoAndar, AvidXchange, Remitly, Loft e SoFi.

A Pitzi atingiu 1 milhão de clientes recentemente e tem planos para ampliar a penetração dos programas de seguro de celular no Brasil, saindo dos atuais 4% para mais de 40% dos cerca de 200 milhões de aparelhos ativos no país.

Junto da rodada, a startup passa a contar com Bill Cilluffo, sócio na QED e ex-presidente na Capital One International, como seu conselheiro. 

“Na QED temos uma grande experiência no uso de dados e tecnologia para habilitar modelos de negócios transformacionais e disruptivos. Isso é o que nos guia nas decisões de como investimos e apoiamos as empresas do nosso portfólio em suas missões. Acompanhamos a Pitzi há anos e estamos convencidos do seu potencial para gerar mudanças impactantes no mercado segurador brasileiro”, afirma Cilluffo.

Com a expansão, a empresa espera refinar os algoritmos e a inteligência da operação.