Hacker deixou recado no site do Eproc. Foto: Reprodução/Twitter.

O Tribunal da Justiça do Rio Grande do Sul, foi atacado por hackers nesta quarta-feira, 11, causando problemas cuja extensão não está clara no Eproc, sistema de processo eletrônico do judiciário gaúcho. 

Em nota publicada às 14h21, o TJ informa que o "o hotsite informativo do Eproc foi adulterado por hackers, porém sem comprometimento dos sistemas do Tribunal de Justiça".

De acordo com o TJ, o ataque não atingiu processos e outros bancos de dados do judiciário estadual.

"O problema já foi corrigido, com o reforço de proteção para impedir novos acessos, bem como medidas já foram adotadas para rastrear a autoria do ato", conclui a nota.

Screenshots com a imagem postada pelo invasor no portal de acesso ao Eproc circularam pelas redes sociais de advogados a partir do meio dia.

Não está claro qual foi o efeito na operação do sistema Eproc em si, que pode ser acessado de outras maneiras além de por meio da página que esteve fora do ar por cerca de uma hora.

Advogados usuários do sistema afirmam nos comentários do Baguete que conseguiram acessar o serviço normalmente durante o período que o site do TJ-RS esteve comprometido.

Outros advogados, ouvidos pelo jornal de Rio Grande, relataram instabilidades. No Twitter, advogados apontaram dificuldades em acessar o sistemafazer protocolos. Funcionários da justiça também afirmaram ao Baguete que tiveram problemas.

Ainda é possível ver a mensagem do hacker ao procurar o Eproc pelo Google.

"Hackeado Por DemonSad - Global Illusion Crew. O sistema de justiça é corrupto podemos ver o "estupro culposo" pau no cu de vocês - DemonSad :) Pra todos", afirma o texto, em uma aparente menção a uma polêmica decisão da justiça catarinense de absolver um acusado de estupro.

O Eproc foi desenvolvido pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região e adotado pelo TJ-RS em  novembro de 2017, no que foi definido pela OAB-RS na época como “o início de uma nova era digital”.

É por meio do sistema que tramitam os processos eletrônicos. Com a pandemia, o TJ-RS vinha ampliando o uso, segundo explicaram ao Baguete fontes com conhecimento da matéria.

O ataque ao TJ-RS acontece em uma semana complicada para a justiça brasileira.

Na semana passada, hackers atacaram e cripografaram mais de 1,2 mil máquinas virtuais do Superior Tribunal de Justiça, além de destruir seus backups, com um ransomware chamado RansomEXX.

O ataque ao STJ parece mais sério do que ao TJ, pois envolve um pedido de resgate, o que indica uma motivação mais profissional dos hackers.

A correção do problema já dura mais de uma semana, envolvendo equipes do STJ, Microsoft, Atos e Serpro.

No caso do TJ-RS, parece se tratar de um ataque mais simples, visando apenas desabilitar temporariamente o sistema.

* Editado às 16h20 com informações mais detalhadas sobre o efeito do ataque nos serviços.