VALORES

Goiás compra Microsoft com desconto

12/01/2021 06:28

Estado aderiu à negociação feita pelo governo federal e vai pagar 22% menos.

Governo federal pressiona por desconto junto a multinacionais. Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

Goiás aderiu à tabela de preços negociada pelo governo federal com a Microsoft, e vai pagar uma média de 22% a menos em uma tabela de 2 mil produtos da multinacional.

A lista tem ferramentas de colaboração e produtividade, desde o Office 365 até serviços da plataforma de dados da Microsoft, incluindo BI e Analytics. 

O desconto é resultado de um acordo fechado em agosto do ano passado com a Microsoft pela Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia. 

O acordo é extensível aos três poderes nas esferas federal, estadual e municipal, que pouco a pouco estão aderindo.

Goiás é o primeiro estado a aderir. No Judiciário, já entraram no acordo o Supremo Tribunal Federal e o Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais.

O sistema começou a ser adotado em 2019, quando a SGD buscou negociações com os maiores fornecedores de TI, como Microsoft, Oracle, IBM, Red Hat, Qlik e VMWare. 

Na primeira aproximação, a MS não topou acordo e foi alvo de um corte linear de 35% na tabela de produtos. Um ano depois, concordou em conversar e o corte ficou um pouco acima de 22%. 

O governo fez a mesma coisa com Adobe e Broadcom (para a linha de produtos Symantec), impondo descontos de 22,49% para a primeira e de 21,67% para a segunda, em ambos os casos para 11 produtos e serviços. 

A Qlik negociou e o desconto ficou em 10,87%, para 22 itens, entre eles, a aquisição de licenças de produtos da plataforma Qlik, como o Qlik Sense.

“O estado vai adquirir licenças e ferramentas com ganho financeiro e sinergia com os órgãos federais, melhorando a prestação de serviços para o cidadão goiano”, diz o subsecretário de Tecnologia da Informação da Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Inovação de Goiás, Rodrigo Michel de Moraes.

A estimativa do governo é que a economia com os descontos fique em pelo menos R$ 112 milhões em 2020. A administração pública vai economizar, as gigantes de TI vão cortar a margem e parece que quem vai levar o prejuízo são as parceiras brasileiras das multinacionais.

Pelo menos, é o que entende a Assespro,entidade que representa 2,5 mil empresas brasileiras de tecnologia, a maioria delas médias e pequenas, sendo um número significativo delas parceiras de empresas como a Microsoft ou então desenvolvedoras de versões nacionais dos produtos cujos preços estão sendo reduzidos.

A entidade encaminhou um ofício ao governo federal questionando a decisão do governo de negociar descontos com os maiores fornecedores de tecnologia da informação e comunicação do governo.

“O modelo proposto pode levar à coordenação anticompetitiva de preços por parte dos competidores de maior porte e barreira à entrada de empresas de menor porte”, diz o ofício assinado por Italo Nogueira, presidente da Assespro Nacional.

Seja tendo que encurtar suas margens para oferecer os produtos das multinacionais ou tendo que baixar o seu preço para competir, essas companhias estão prejudicadas.

Na sua nota, a Assespro afirma que acredita que as compras públicas são “um fator indutor do processo de crescimento econômico e de geração de emprego e renda” e que o sistema de compras concentradas “reduz a saudável variedade de oferta de soluções, especialmente em um segmento tecnológico e estratégico”.

Veja também

CONSTRUÇÃO
Governo faz nova mega compra de nuvem

Brasília dá mais um passo na reformulação da infra de TI do governo.

CELULOSE
Suzano desenvolve aplicativo com Microsoft

Criada com Power Apps, a ferramenta auxilia técnicos a tomarem decisões na gestão das florestas.

2020
Microsoft desiste do software Big Brother

Companhia vai tirar funções no Productivity Score depois de onda de críticas sobre violação de privacidade.

FECHADO
Salesforce paga US$ 27,7 bilhões pelo Slack

Gigante de CRM acaba de fechar um dos maiores negócios do setor de tecnologia.

FUTURO
Softex: R$ 50 milhões para fundo

Foco são startups da “quarta revolução industrial”, com aportes de até R$ 5 milhões.

ADEUS
Relembre 2020, se você é corajoso o bastante

A retrospectiva de um ano que não será esquecido: coronavírus, novo normal, ransomware, grandes negócios e mais.

ESTATAIS
Accenture fará plano para vender Serpro e Dataprev

Consultoria lidera time que faturou contrato de R$ 7,93 milhões pago pelo BNDES.

FALHA
Nova exposição de dados no Ministério da Saúde

Desta vez, credenciais de sistema estavam expostas na função “inspecionar elemento” dos navegadores.

LOGIN
Bradesco faz integração com portais gov.br

Clientes da instituição agora podem acessar serviços federais com as credenciais do banco.