A Senior contou com a presença de executivos na inauguração do novo escritório no RS. Foto: Divulgação.

A Senior, especializada na oferta de software para gestão empresarial, de pessoas, logística e de controle de acesso, acaba de inaugurar seu novo escritório em Porto Alegre.

Desde o final de 2011, quando adquiriu a unidade focada em Senior da Ruá, a empresa de software de gestão dividia espaço com a antiga revenda em Porto Alegre. A sede, que segue em funcionamento com a Ruá, fica no bairro Azenha, conhecido por abrigar o Olímpico, antigo estádio do Grêmio.

Já o novo endereço da Senior é no Iguatemi Business, prédio comercial aberto há pouco mais de um ano. Com 14 andares, a torre conta com acesso interno e direto ao Shopping Iguatemi.

De acordo com a empresa, a nova sede busca proporcionar maior conforto aos colaboradores e proximidade com os clientes. 

Com cerca de 80 colaboradores, a operação no Rio Grande do Sul registrou crescimento de aproximadamente 70% nos últimos três anos. A companhia atende mais de 500 empresas de diversos segmentos na região sul, como Grendene, Getnet, Sicredi, Picadilly, Unicred, Panvel, Farmácias São João, Hospital Moinhos de Vento, Coopermil, Agropan, Cotrirosa e Cotrijal. 

“O estado gaúcho é muito importante para o nosso negócio, muitos dos segmentos econômicos atendidos pela Senior têm forte presença na região”, afirma Roberto Rossoni, gerente da filial RS. 

A Senior também marca presença no RS com um escritório em Caxias do Sul desde 2016, quando comprou a operação do canal de distribuição Somos Tecnologia. 

Com a operação na serra gaúcha, a empresa reforça a atuação em setores como metal mecânico, logística, indústria (bebidas, alimentos) e agropecuário. 

“Nossas soluções são muito aderentes a essas verticais, inclusive contamos com sistemas específicos para varejo, agronegócio de manufatura, por exemplo, e estamos contribuindo com o crescimento da economia em toda região”, complementa Rossoni. 

Em 2017, a Senior teve uma receita bruta de R$ 283,4 milhões, um aumento de 10% frente aos resultados de 2016.