As novas regras foram decretadas para os próximos 30 dias. Foto: flickr.com/photos/gageskidmore/.

Os Estados Unidos anunciaram amplas restrições de viagem a 26 países europeus por conta do coronavírus.

As medidas foram anunciadas em pronunciamento do presidente, Donald Trump.

De acordo com a BBC News, a proibição se aplica a viajantes de países que fazem parte do acordo de Schengen, que permite a livre circulação no continente. 

Entre os países da região, os únicos não afetados pela medida são os que não fazem parte do acordo: Reino Unido, Irlanda, Croácia, Romênia e Bulgária. Os cidadãos americanos também são isentos.

As novas regras entram em vigor na sexta-feira, 13, à meia-noite do EDT, fuso horário do leste americano, e vale para os próximos 30 dias.

A União Europeia condenou as medidas, que, segundo ela, foram tomadas "unilateralmente e sem consulta", afirmou a BBC.

Ainda segundo a publicação, o presidente americano Donald Trump teria tomado a atitude após ser acusado por não agir frente ao coronavírus.

Segundo o site Valor Econômico, o Departamento de Estado americano veio na sequência e fez um alerta extraordinário para que os americanos reconsiderem viagens ao exterior.

Após a fala do presidente americano, as bolsas europeias despencaram, com o Euro Stoxx 50, índice de bolsa composto por 50 ações da zona europeia, cedendo em 5,5%. 

As principais praças da região também perdiam mais de 5%: Londres (-5,28%), Frankfurt (-5,41%), Paris (-5,16%) e Madri (5,52%). Em Milão, a perda era de 4,8%.

As ações asiáticas também fecharam em forte baixa e a fala também impactou Wall Street, que teve uma abertura considerada fortemente negativa pela publicação econômica.

As ações de companhias aéreas europeias, que já vinham sofrendo com a queda na demanda, recuaram fortemente após o pronunciamento.

Segundo a agência de notícias Reuters, as ações da Air France, que perderam quase 60% de seu valor desde que o surto de coronavírus chegou à Europa, caíam outros 6,29%.

A alemã Lufthansa e a IAG, dona da British Airways e da Iberia, caía 7,5%.

Já as ações da Norwegian Air Shuttle, que opera voos transatlânticos, despencavam mais de 20%.

Ainda de acordo com a Reuters, a rota transatlântica é considerada o principal impulsionador de lucro dessa companhias, representando entre 20% a 30% de suas receitas.

Segundo o reporte mais recente da Organização Mundial da Saúde (OMS), a pandemia do coronavírus tem um total 118.322 casos confirmados globalmente, em 113 países.

Nos Estados Unidos, 696 já foram confirmados, com 25 mortes. Na Europa, o país com a situação mais crítica é a Itália, com mais de 10 mil casos confirmados, seguida pela França (1774), Espanha (1639) e Alemanha (1296).