Não esqueça de lavar bem as mãos. Foto: Pexels.

É a hora de TI agir. Os CIOs devem se concentrar em três ações de curto prazo para ajudar as suas organizações a atravessarem melhor a crise gerada pelo coronavírus, aponta o Gartner.

Para os analistas da consultoria, o vírus tem um o potencial de impactar a continuidade das operações de uma organização tanto ou mais do que que uma invasão cibernética ou um desastre natural

“Quando os canais e operações tradicionais são impactados pelo surto, o valor dos canais, produtos e operações digitais se torna imediatamente óbvio. É um alerta para as organizações que se concentram nas necessidades operacionais diárias à custa de investir em negócios digitais e resiliência em longo prazo”, afirma Sandy Shen, diretora sênior de pesquisa do Gartner. 

As dicas do Gartner são: 

1. Adote ferramentas de colaboração digital com controles de segurança e suporte de rede - Várias medidas de quarentena e restrições de viagens adotadas por organizações, cidades e países têm causado incertezas e interrupções à medida em que as operações de negócios são suspensas ou executadas em capacidade limitada.

Nas organizações em que os recursos de trabalho remoto ainda não foram estabelecidos, os CIOs precisam trabalhar com soluções provisórias a curto prazo, incluindo a identificação de requisitos de casos de uso, como mensagens instantâneas para comunicação geral, soluções de compartilhamento de arquivos e reuniões, além de acesso a aplicações corporativas, como  planejamento de recursos empresariais (ERP, do inglês Enterprise Resource Planning) e gestão de relacionamento com clientes (CRM, do inglês Customer Relationship Management), enquanto revisam todas as disposições de segurança para garantir acesso seguro aos aplicativos e dados.

As organizações também precisam lidar com a falta de pessoal para manter as operações básicas. Os CIOs podem trabalhar com os líderes de negócios para conduzir um planejamento da força de trabalho para avaliar riscos e solucionar as lacunas de pessoal, identificando áreas de serviço de missão crítica. Os CIOs podem verificar de que forma tecnologias digitais, como a Inteligência Artificial (IA), podem ser usadas para automatizar tarefas como, por exemplo, triagem de candidatos e atendimento aos clientes.

2. Envolva clientes e parceiros por meio de canais digitais e mantenha as atividades de vendas - Muitas organizações já envolvem os clientes em plataformas digitais, como sites da marca, aplicativos, marketplaces e mídias sociais. Mas o envolvimento pessoal off-line ainda desempenha um grande papel. 

Soluções de colaboração no local de trabalho, videoconferências e transmissões ao vivo podem atender a vários cenários de envolvimento de clientes e vendas. As organizações também deveriam permitir que os clientes usem o autoatendimento por meio de canais on-line, móveis, sociais, quiosques e com respostas de voz interativa (IVR, do inglês Interactive Voice Response).

3. Estabeleça uma fonte única da verdade para os funcionários - Dados confusos originados de fontes não verificadas, assim como a falta de dados, podem levar a decisões mal informadas, aumentando a ansiedade dos funcionários e tornando as organizações despreparadas para retornar às operações normais. 

Essa ansiedade pode ser um pouco aliviada se as organizações puderem aproveitar os dados para apoiar uma melhor tomada de decisão e comunicar o progresso com mais eficiência aos funcionários.

“As organizações podem oferecer conteúdo com curadoria, extraído de fontes internas e externas, para fornecer orientação acionável aos funcionários. Os líderes de RH e de comunicação corporativa podem ser envolvidos para avaliar o conteúdo e interpretar as políticas da empresa", diz a analista.