Renato Cunha, durante a apresentação lotada no Tecnopuc. Foto: Camila Cunha – Ascom/PUCRS

A Singularity, famosa instituição de ensino e incubadora tecnológica do Vale do Silício, acaba de lançar um capítulo em Porto Alegre.

É a sexta organização do tipo no Brasil, onde já existem capítulos em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Florianópolis. No mundo todo são 60, espalhados por 37 países.

Os capítulos são sempre liderados por ex-alunos, no caso Renato Cunha, country manager da Brainomix, uma startup inglesa de inteligência artificial e telemedicina, e Francisco Milagres, diretor da consultoria Mirach.

Ambos fizeram o curso em tecnologias exponenciais da Singularity University. Os fundadores ficam à frente do capítulo por dois anos.

Fundada pelo futurologista americano Ray Kurzweil, a Singularity University é um dos nomes fortes no ecossistema do Vale do Silício.

Os apoiadores incluem empresas como Google, Linkedin, Nokia e Autodesk.

“Temos a missão de conectar, potencializar e disseminar os conceitos de tecnologia e organizações exponenciais na nossa comunidade”, afirma Cunha.

O objetivo dos capítulos locais é organizar eventos dentro da temática de inovação, trazendo outros alunos ou professores da Singularity.

A Singularity também promove competições de inovação e ações sociais.

O evento de lançamento do capítulo Porto Alegre foi nesta terça-feira, 11, no Tecnopuc, mas o capítulo pretende trabalhar com outras instituições locais.

Os capítulos brasileiros pretendem promover um evento chamado Singularity University Brasil Summit, que deve credenciar o país a ter uma estrutura física da instituição.