Presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster. Foto:Imprensa/Agência Petrobras

A presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, disse na manhã desta segunda-feira, 12, que a situação econômica da companhia deve apresentar expressiva melhora entre 2014 e 2015.

Segundo o Exame, a declaração foi dada após questionamento acerca de possíveis reajustes de combustíveis a serem implementados pela estatal.

A executiva comentou que a Petrobras avalia o momento de aplicar a metodologia de preços, a qual prevê a paridade de valores entre os preços cobrados no exterior e no Brasil, o que deve acontecer "ainda neste ano".

"Nossa discussão (sobre a metodologia) com o conselho é permanente, sistemática e padronizada. Temos o desafio de produzir, fazer os investimentos, controlar o capex e, quando há defasagem de preços, como nós temos hoje, temos de corrigir", disse Graça Foster em teleconferência com analistas e investidores.

Mais cedo, Graça Foster destacou a expectativa de melhoria dos indicadores de produção e o maior controle sobre os investimentos.

Segundo o Estadão, Graça Foster disse que o lucro operacional e liquido da companhia foram impactados por "efeito pontual" do provisionamento do Plano de Incentivo à Demissão Voluntária (PIDV), que afetou em R$ 2,4 bilhões o balanço do primeiro trimestre.

De acordo com o balanço, o lucro operacional no primeiro trimestre ficou em R$ 10 bilhões, ante R$ 10,262 bilhões no primeiro trimestre do último ano. 

Já o lucro líquido ficou em R$ 5,393 bilhões neste primeiro trimestre, ante R$ 7,693 bilhões em 2013. O lucro da empresa caiu 29,9% no período.