Markus Blumenschein.

A T-Systems, provedora alemã de soluções e serviços de TI,  vai investir R$ 1 milhão na ampliação do seu centro em Blumenau, Santa Catarina, agregando até o final de 2015 mais 300 contratações.

O objetivo significa quase dobrar o total de funcionários, hoje na faixa 400 profissionais atuando em áreas como desenvolvimento SAP, fábrica de software e suporte. 

Das oportunidades, 150 vagas já estão abertas para ocupação imediata, metade delas para áreas relacionadas a tecnologia da SAP, incluindo CRM e os módulos MM, SD, Logística e WD do ERP.

“Vamos contratar muitos profissionais em início de carreira e formá-los, além de especialistas em tecnologia SAP”, revela  Markus Blumenschein, diretor do centro.

Segundo Blumenschein, os contratados atenderão novos clientes no Brasil e também internacionais, como a Deutsche Telekom e Daimler. Por conta disso, pouco mais da metade deles deverá ser fluente em alemão. 

“A região é repleta de famílias de origem alemã. Com isso, o maior requisito é ter domínio do idioma, pois profissionalmente a capacitação se dará com a T-Systems”, projeta Blumenschein.

A operação de Blumenau foi inaugurada em 2006, com uma equipe de 20 pessoas e tem crescido continuamente desde então, sendo responsável por uma fatia importante dos cerca de 2 mil empregados da multinacional alemã espalhados por 12 escritórios no país.

Desde o início, a empresa participou de programas de formação profissional na cidade, com os quais afirma ter contratado metade da sua força de trabalho.

Blumenau parece ser um par perfeito para a uma companhia como a T-Systems, dona de um faturamento de 8,6 bilhões de euros no ano fiscal de 2014. 

Com 334 mil habitantes, é a terceira cidade mais populosa do estado.

Fundada em 1850 por imigrantes alemães,  Blumenau mantém vivas suas raízes germânicas, organizando por exemplo a segunda maior oktoberfest do mundo, só atrás da original, em Munique.

A cidade também é pionera na área de TI, com os primeiros passos da indústria sendo constituídos ainda em 1969, quando um grupo de empresas têxteis incluindo Hering, Karsten, Teka e outras fundou a o Centro Eletrônico da Indústria Têxtil (CETIL), uma companhia focada em processamento de folha e outros serviços.