Entidades estão fazendo campanha no Senado. Foto: Agência Brasil.

Doze entidades de empresas da área de TI lançaram um manifesto conjunto e estão fazendo campanha em Brasília pela aprovação da reforma trabalhista.

O manifesto foi entregue em mãos ao senador Ricardo Ferraço (PSDB), relator do projeto, nesta quarta-feira, 10, e foi seguido por uma ação nos corredores do Senado nesta quinta, 11.

“A competitividade do Brasil depende da redução do ônus sobre o trabalho”, afirma o texto, agregando que a reforma trará mais segurança jurídica para trabalho remoto e home office, além do “reconhecimento da autonomia negocial de trabalhadores qualificados e bem remunerados”.

O texto também aponta o que considera a “litigiosidade exacerbada” gerada pelas atuais leis trabalhistas, com 4 milhões de novos processos entrando na Justiça do Trabalho por ano, cujo orçamento anual é de R$ 13,1 bilhões.

O texto é assinado pelas maiores entidades nacionais, como ABES, Assepro Nacional, Fenainfo e Brasscom; e algumas entidades regionais como InternetSul, Seprorgs, Acate e Sindesei-DF.

A mobilização tem seus motivos. Depois da greve geral do dia 28 de abril, o governo Temer começa a dar algumas mostras de estar disposto a baixar o teor da reforma aprovada pela Câmara de Deputados para garantir uma aprovação no Senado e poder seguir adiante com o cronograma de reformas.