Sede da AMF no Recanto Maestro.

A Antonio Meneghetti Faculdade acaba de lançar a Incubadora Recanto, espaço para empresas nascentes dentro do que começa a se tornar um pólo de tecnologia com respaldo de nomes de peso na TI gaúcha nas proximidades de Santa Maria, distante 290 km de Porto Alegre

O espaço já opera há seis meses, com 12 empresas incubadas, quatro delas no setor de tecnologia [Yourcode, Deffi, Odig e LadWeb].

As metas no médio prazo, no entanto, incluem a construção de um novo prédio para a incubadora, com capacidade para abrigar entre 50 e 100 empresas nascentes.

“Estamos na fase final de constituir uma identidade jurídica própria. Depois, vamos formatar o projeto e buscar os recursos. Acredito que a APL recém-formada deve ajudar”, projeta Fábio Nascimento, diretor da Incubadora Recanto.

Explicando: como a Antonio Meneghetti Faculdade tem fins lucrativos, a incubadora precisa ter uma operação própria para captar recursos junto ao governo, diferente do que acontece com as incubadoras mantidas por instituições como Unisinos e PUC-RS, sem fins lucrativos.

A APL Centro RS foi aprovado em maio pela Secretaria de Desenvolvimento e Promoção do Investimento, garantindo R$ 100 mil anuais pelos próximos quatro anos para desenvolver ações relacionadas à governança e ao desenvolvimento do setor de TI em Santa Maria.

O projeto da Incubadora Recanto, que, se concretizado colocaria a incubadora entre as maiores do Rio Grande do Sul, ganha mais corpo se analisado no conjunto da movimentação que está acontecendo no chamado Recanto Maestro, uma área entre São João do Polêsine e Restinga Sêca, que já abriga a AMF e tem atraído investimento privado.

O Grupo Meta inaugurou em abril um centro de excelência em tecnologia da SAP no local, com investimentos de R$ 5 milhões em um prédio com capacidade para 350 pessoas. Planos já estão sendo feitos para um novo prédio para 500 pessoas.

O local é atrativo por estar fora dos grandes centros, com um cenário de menos rotatividade na mão de obra – apesar de concentrar universidades, inclusive a federal UFSM, a região de Santa Maria não oferece muitos empregos na área de TI.

Hoje, a AMF conta com cerca de 200 alunos matriculados em cursos de graduação Análises de Sistemas, Direito e Administração. A instituição já mantém uma incubadora de empresas de TI e uma residência estudantil para 120 estudantes.

Outros 200 estão matriculados em MBAs na área de gestão que já são oferecidos em São Paulo também.

Todos os cursos adotam um modelo de formação voltado para a formação de líderes baseado no trabalho do filósofo italiano Antonio Meneghetti - a chamada metodologia de ensino ontopsicológica da qual a AMF é a única representante no Brasil.

Entre os apoiadores da instituição estão lideranças empresariais como o fundador da Calçados Beira Rio, Roberto Argenta, o presidente do grupo Puras, Hermes Gazzola e Wesley Lacerda, um dos fundadores da Meta.

Parte dos planos da Incubadora Recanto passam por colocar o networking empresarial da AMF a favor das empresas incubadas. Todas tem um padrinho que acompanha a companhia e dá orientações – e no futuro, nada impede que possa virar um investidor. Wesley Lacerda, Telmo Costa e Cláudio Carrara, os três fundadores da Meta, exercem o papel, por exemplo.

No mesmo dia do lançamento oficial da Incubadora Recanto, os acadêmicos da AMF puderam contar com a palestra do presidente do Grupo Processor, César Leite, e uma mesa redonda com o tema "Incubadora e Empresas de Sucesso”, onde participaram: Artur Lorentz, da Lorentz Consultoria e ex-Secretário de Estado de Ciência e Tecnologia; Giovani Geremia, da Instor; Santos Viana, da CentroSoftware; Marcelo Coutinho, da Pixware e Daniel João, da RWA – todas empresas de base tecnológica.