Baguete
InícioNotícias> Cassol: plataforma de vendas da Linx

Tamanho da fonte:-A+A

VAREJO

Cassol: plataforma de vendas da Linx

Júlia Merker
// quinta, 12/07/2018 12:39

A Cassol Centerlar, uma das maiores empresas do comércio varejista de materiais de construção no Brasil, firmou um acordo com a Linx para o fornecimento de uma plataforma de vendas e pagamento móvel para lojas físicas, distribuídas na região sul do Brasil. 

A Cassol Centerlar tem 17 lojas e três centros de distribuição. Foto: Divulgação.

Com o projeto, a rede espera agilizar o atendimento e garantir uma boa experiência ao consumidor final. Além disso, os clientes contarão com mobilidade e novas opções para realizar pagamentos, que poderão ser feito por meio de smartphones e tablets, eliminando as filas de um caixa tradicional.

“Estamos entusiasmados em sermos o parceiro estratégico de tecnologia da empresa para ajudá-la a melhorar ainda mais a experiência de seus clientes, oferecendo nova experiência de compra”, afirma Daniel Mayo, diretor comercial de Big Retail na Linx.

Atualmente, a Cassol Centerlar tem forte atuação nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, com 17 lojas e três centros de distribuição.

“Optamos por incorporar os sistemas da Linx à operação para melhorar ainda mais a experiência dos nossos clientes e ganhar mais produtividade nas lojas, além disso, estávamos em busca de um sistema mais robusto e com arquitetura moderna e escalável”, destaca Luiz Renuncio, diretor Administrativo-Financeiro da Cassol. 

Quinta maior empresa no comércio varejista de materiais de construção no Brasil, a Cassol Centerlar tem 60 anos de mercado.

A rede integra o Grupo Cassol, que além do varejo também atua no setor de industrialização e montagem de pré-fabricados de concreto e no imobiliário, com a construção e comercialização de imóveis.

Hoje o grupo gera aproximadamente 4 mil empregos diretos nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Distrito Federal.

A Linx fechou o ano passado com uma receita operacional bruta de R$ 656,1 milhões, um aumento de 15,5% em relação a 2016.

Júlia Merker