Estariam o smartphones muito parecidos uns com os outros? Foto: flickr.com/photos/adjourned

Estariam os smartphones mortos? Pelo menos é o que acredita Steve Kovach, do Business Insider.

Kovach explica que, apesar dos lançamentos de peso ocorrido em 2013, como o Galaxy S4, HTC one, Blackberry Z10 e o moto X, nenhum deles alcançou o status de “revolucionário” prometido pelos fabricantes.

O ponto principal é que, desde o anúncio do iPhone, feito em 2007, as outras empresas não buscaram revolucionar, mas sim ter o mesmo produto em seu portfólio, sem incluir inovações de peso.

Um exemplo citado é o Galaxy S4, cujas novas funções de eye tracking e manipulação por gestos teriam tornado a experiência de uso mais complexa e frustrante, e não necessariamente melhor.

O Nokia Lumia 1020, com uma câmera de 41 megapixels e o LG G2, que só trocou os botões de volume de lugar, são outros exemplos de inovação que não aporta nada de útil, acredita Kovach.

Para o jornalista, o fator surpresa não existe mais e o mercado de smartphones top de linha já estaria saturados e dominado tanto pela Samsung como pela Apple.

No último trimestre, a Samsung movimentou 72,4 milhões de unidades, enquanto a Apple movimentou 31,2 milhões, de acordo com dados de um relatório recém publicado pela IDC.

Kovach completa sua ideia que as pessoas não deixarão de comprar smartphones, mas sim, que os que temos no mercado é muito igual. Para ele, aparelhos mobile não cessarão de existir, mas sim o conceito de smartphone está morto.