Cleber Morais, presidente da Bematech. Foto: Divulgação.

A Bematech, provedora de soluções para o varejo, food service e hospitality, anunciou os resultados financeiros do segundo trimestre de 2015. O lucro bruto da empresa registrou R$ 38 milhões, 14% abaixo do alcançado no mesmo período de 2014.

Segundo a Bematech, o resultado reflete os custos mais altos e preços estagnado, além de ter impactado o lucro líquido de R$ 8 milhões, 42,4% abaixo do 2T14. 

Com isso, o EBITDA atingiu R$ 15,2 milhões em comparação aos R$ 21,5 milhões alcançados no mesmo trimestre do ano anterior, representando um valor 29,1% menor. 

No acumulado dos seis primeiros meses do ano, o EBITDA atingiu R$ 31,1 milhões, 24% inferior ao resultado do primeiro semestre de 2014.

O período também foi marcado pela evolução da receita recorrente, que cresceu 13,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. alcançando R$ 34,1 milhões.

A receita total – que considera o desempenho das verticais mais canais e ofertas cross – foi de R$ 105,4 milhões e, segundo a empresa, “se manteve em linha com o mesmo período do ano passado”. 

“Percebemos que o cenário macroeconômico continua desafiador. Ainda assim, continuamos focados na venda de solução e alavancamos a receita líquida das verticais em 16,9%, assim como a geração de receita recorrente, que cresceu 14,8%. Avançamos no processo de simplificação da estrutura por meio da revisão e otimização de processos, unificação de filiais e adequação dos times internos”, afirma Cleber Morais, presidente da Bematech.

No 2T15, os investimentos somaram R$ 6,8 milhões, correspondentes a 6,5% da receita líquida total da companhia, valor superior aos R$ 3,6 milhões investidos no mesmo período do ano anterior. 

Os custos cresceram 11,8% na comparação com o mesmo trimestre de 2014, levando a margem bruta para 36,1%, uma redução quando comparada aos 42,3% registrados no 2T14. As despesas diminuíram 1,9%, alcançando R$ 32,8 milhões.

No período, a vertical de varejo apresentou evolução de 7,2% em sua receita se comparada a do 2T14. Já a receita recorrente aumentou 15,1%, alcançando R$ 9,8 milhões, valor que representa 51,9% da receita da vertical.

A receita da vertical de food service apresentou registrou aumento de 41,1% em relação ao 2T14, atingindo R$ 9 milhões. Parte dessa evolução foi atrelada à mudança da tecnologia fiscal em São Paulo, que incentivou a compra de ECFs com o intuito de adiar a adaptação às novas regras da Secretaria do Estado (Sefaz).

A receita recorrente evoluiu dois dígitos, com aumento de 19,7% frente ao 2T14, representando 51,8% da receita da vertical, diferente da participação de 48,3% no mesmo período do ano passado.

No 2T15, a vertical hospitality – composta pela atuação da Bematech nos segmentos de hotéis e transportes terrestres – apresentou crescimento de receita de 17,8% quando comparado ao 2T14. 

Dos R$ 20,6 milhões registrados, 79,7% referem-se às receitas recorrentes, evolução de 13,9% frente ao mesmo período do ano passado. 

O resultado de “canais & ofertas cross” é definido pela venda de equipamentos, soluções fiscais, meios de pagamento e serviços para qualquer segmento do varejo fora do escopo de atuação das verticais. A receita proveniente destes negócios somou R$ 56,9 milhões, valor 9,7% inferior ao 2T14. Já a receita recorrente registrou crescimento de 5,1%.