Venda da SunGard é maior negócio de TI no ano. Foto: divulgação.

A SunGard, multinacional de soluçoes de TI para finanças e educação, foi comprada pelo fundo Fidelity National Information Services (FIS) em uma negociação de US$ 9,1 bilhões, o maior valor pago por uma empresa de tecnologia este ano.

Segundo aponta a revista Fortune, o consórcio de sete empresas que controlava a SunGard aceitou a oferta, realizada em dinheiro e ações, reavendo boa parte dos US$ 11,53 bilhões que pagou pela companhia em 2005. A venda tem previsão de ser concluída no final do ano.

A SunGard foi comprada por US$ 11,5 bilhões em 2005 por Silver Lake Partners, TPG Capital, Bain Capital, Blackstone Group, Goldman Sachs Capital Partners, KKR e Providence Equity Partners em uma das maiores compras alavancadas antes da crise financeira de 2008.

A venda da SunGard é a maior transação do segmento de TI até o momento em 2015, batendo o recorde de US$ 8 bilhões da venda da Veritas pela Symantec, transação realizada na última segunda-feira, 12.

O valor total da compra envolve a divisão de tecnologia da SunGard e as dívidas acumuladas pela empresa nos últimos anos. Segundo fontes, o valor líquido embolsado pelos antigos acionistas da multinacional fica na casa dos US$ 5,1 bilhões.

Segundo fontes de mercado, a preocupação geral em 2005 era que muitos destes valores altos pagos por empresas na "era de ouro" das empresas de TI iriam render prejuízos no futuro. No caso da SunGard, foi o que aconteceu, mas até que a perda não foi assim tão grande.

Conforme reporta o Wall Street Journal, a FIS espera agregar as soluções de serviços financeiros, setor público e educação às suas ofertas voltadas ao mercado bancário e TI para pagamentos.

Com a venda, a SunGard deixou para trás seus planos para uma oferta pública de ações (IPO), que estava em tratativas com bancos desde março. Frente às dificuldades que a empresa possuía com dívidas e sua presença diminuída no mercado de TI, os acionistas optaram por passar o negócio adiante.

Baseada em Jacksonville, na Flórida, a FIS opera no segmento de transações de cartão de crédito, empréstimos e back-office para gerenciamento de finanças, com uma receita anual na casa de US$ 6 bilhões.

Para fins de comparação, a SunGard tem um faturamento de US$ 2,8 bilhões por ano, com uma estrutura formada por cerca de 13 mil empregados. Na fusão com a FIS, o número de colaboradores deve saltar para 55 mil.

O Brasil também entra neste negócio. Tanto a SunGard Financial Systems como a SunGard Higher Education tem operações no país desde 2007, quando a marca investiu cerca de R$ 2 milhões para atender o mercado braisleiro.

No ano passado, o Petros, fundo de aposentadoria dos funcionários da Petrobras, investiu em uma plataforma tecnológica para gerenciamento de ativos desenvolvida pela SunGard, com o objetivo de oferecer maior flexibilidade na análise de performances e simulações, ampliar o controle e mitigar riscos dos investimentos em títulos públicos e privados, ações, derivativos, crédito privado, private equity e investimentos imobiliários.