Foto: divulgação.

O Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTIC), adotou a solução da startup Laura, robô gerenciador de riscos, para oferecer inteligência artificial a hospitais públicos.

A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), organização social vinculada ao ministério, e o Instituto Laura Fressatto também fazem parte do acordo de implementação.

O Hospital das Forças Armadas (HFA), localizado em Brasília, foi o primeiro beneficiado e está com a ferramenta em implementação. Na sequência, o projeto deve ampliar o uso da plataforma para mais instituições.

Na prática, a solução agiliza a identificação de infecções generalizadas. Ela analisa mais de 90 variáveis de informações sobre o quadro do paciente, como frequência cardíaca, respiratória e pressão, e elabora índices de risco de deterioração clínica. 

Caso haja algo de errado com a pessoa internada, um alerta é emitido para a equipe assistencial, indicando as possíveis causas. Os pacientes mais críticos são atendidos com prioridade.

Com o sistema, é possível antecipar em até 12 horas o alerta de deterioração clínica, possibilitando a intervenção antecipada, quando combinado ao monitoramento contínuo de sinais vitais.

Entre os benefícios do robô, estão a redução de 25% na taxa de mortalidade e menos sete horas no tempo de internação por paciente nos hospitais vinculados.

No cenário pré-pandemia, a infecção generalizada era responsável por 25% da taxa de ocupação dos leitos de UTI no Brasil, de acordo com o Instituto Latino Americano de Sepse (ILAS).

A startup Laura nasceu em 2010 após o arquiteto de sistemas Jac Fressatto perder a filha Laura por infecção generalizada. 

No mercado desde 2016, a plataforma já teve aproximadamente 8,6 milhões de pacientes conectados e salva uma média de 18 vidas por dia.

Em março deste ano, a startup criou outra solução, o Laura P.A. Digital, chatbot que realiza a triagem virtual dos casos de Covid-19. Para contribuir com a otimização dos recursos de saúde, a startup está auxiliando gratuitamente os hospitais no período de pandemia.