Formar mão de obra pelo computador é o caminho, acredita MCTI. Foto: Flickr.com/57555728@N04

O Brasil Mais TI, projeto recém lançado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e Brasscom, com investimento de R$ 1,4 milhão para capacitação de profissionais para a TI, inicia suas atividades.

A iniciativa, que funciona via cursos online oferecidos por meio do portal Brasil Mais TI, abriu inscrições em Uberlândia, cidade a 537 km de Belo Horizonte onde a demanda por mão de obra no setor tende a aumentar com o anúncio da construção de um polo tecnológico local, previsto para ter 94 mil metros quadrados destinados à instalação de empresas de TI.

“Uberlândia foi um dos locais selecionados pois queremos propiciar a conexão direta com o emprego”, explica Sergio Sgobbi, diretor de Educação e RH da Brasscom.

O projeto oferece no município mineiro 60 vagas por ano para cursos sobre as linguagens de programação Cobol, Java e .Net.

A Algar Tecnologia, que tem sede em Uberlândia, entra como apoiadora - alunos que não tiverem acesso à internet poderão usar os computadores da empresa, por exemplo.

As capacitações via web são gratuitas, voltadas a jovens a partir de 16 anos, e somam carga total de 320 horas (Cobol) e 260 horas (Java e .Net).

Todos os cursos são certificados pelo Ministério da Educação e, de acordo com a Brasscom, há atividades previstas também para Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo.

Para participar da capacitação EAD, os candidatos passam por uma seleção de perfil profissional, conhecimentos teóricos e afinidades em tecnologia.

"Desenvolvemos um processo seletivo para identificar os candidatos com perfil em TI, contribuindo para a retenção dos jovens nos cursos e na profissão", ressalta Sgobbi.

Além dos cursos, o Brasil Mais TI também conta com um portal de vagas gratuito, em que os candidatos e as empresas podem divulgar currículos e vagas.

Segundo o diretor de RH da Brasscom, a entidade mapeou o mercado brasileiro de profissionais de TI e identificou onde há maior demanda das empresas por profissionais.

Conforme o mapeamento, o setor emprega 1,3 milhão de profissionais e as projeções indicam que outros 78 mil serão demandados nos oito principais mercados da área no país (São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Paraná, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco e Rio Grande do Sul).

Entretanto, apenas 33 mil estudantes concluirão os cursos superiores da área nesses estados, prevê a Brasscom.

Para ajudar a solucionar o problema, a entidade aposta na nova iniciativa, que também oferece, via portal, acesso a blogs, redes sociais e jogos focados no setor.

O objetivo, de acordo com Sgobbi, é atender a 10 mil alunos por ano.

ESTEIRA DE INCENTIVOS
O projeto é financiado pelo MCTI e acompanha a iniciativa do governo federal, que lançou no mês passado o programa TI Maior, prevendo recursos de R$ 486 milhões até 2015, provindos do Prosoft (BNDES), Finep e CNPq, para o desenvolvimento de ações de fomento ao setor.

Do total, R$ 40 milhões deverão ser destinados a startups, com meta de beneficiar 150 empresas até 2014, com verba de R$ 200 mil para cada.