Vista do Museu de Arte da USP. Foto: flickr.com/photos/stankuns

A Microsoft investirá US$ 720 mil nos próximos dois anos na criação de Centro de Estudos de Tecnologia e Sociedade na USP, em São Paulo.

É a primeira iniciativa dessa natureza firmada pela empresa na América Latina. O Centro terá caráter multidisciplinar, envolvendo áreas como direito, economia, TI e ciências da computação. 

Em nota, a Microsoft frisa que o dinheiro é destinado à gestão do centro por parte da USP e que a multinacional não terá qualquer interferência em metodologias e conclusões das pesquisas realizadas.

De qualquer maneira, a pauta de estudos divulgada se alinha com temas do interesse da agenda da Microsoft como o impacto da computação em nuvem nas pequenas e médias empresas, proteção da propriedade intelectual no segmento de software e privacidade e a proteção de dados no ambiente digital.

A companhia bancou iniciativas similares na China, com a Universidade de Tsinghua, onde foi investido US$ 1 milhão e nos Estados Unidos, com a Universidade de Washington, onde foi aplicado US$ 1,7 milhão.

Com o investimento na USP, a Microsoft marca presença na universidade mais influente do país, líder no ranking da Folha de 2012 e a 11a colocada em um levantamento com as 100 instituições de ensino superior mais importantes nos mercados emergentes.

Até agora, a presença da Microsoft no meio universitário se limitava a alguns dos seus 18 Centros de Inovação no Brasil, como o presente na PUC-RS, nos quais as atividades são mais focadas na formação profissional dos alunos e menos em influenciar o rumo da pesquisa no ensino superior.

O meio acadêmico brasileiro, principalmente nas universidades públicas, é um terreno no qual a comunidade do software livre tem um dos seus pontos fortes.

A própria USP, por exemplo, é centro de Centro de Competência em Software Livre, parte de uma rede internacional destinada a promover desenvolvimento e pesquisa relacionadas a open source, eventos e capacitação.

O CCSL-USP agrega atividades relacionadas ao ensino de graduação e pós-graduação, pesquisa, desenvolvimento e divulgação de software na USP, com apoio financeiro da Finep, Reitoria e Pró-Reitoria de Pesquisa da USP e pelas agências CNPq, Capes, Fapesp e European Commission.