Lançamento do Rede 399 em Curitiba. Foto: governo PR.

O governo do Paraná lançou um programa de incentivo a expansão da banda larga no estado que incluirá acesso à fibra ótica da Copel, redução de ICMS sobre compra de equipamentos e financiamento através do banco Fomento Paraná.

Lançada nesta quinta-feira, 11, o projeto Rede 399 – Internet para Todos, abre os pontos de fibra ótica da estatal de energia elétrica do estado a provedores de serviços de telecomunicações interessados em construir redes.

A contrapartida das empresas é interligar todos os órgãos públicos na cidade pela rede de banda larga. 

As prefeituras também poderão disponibilizar internet gratuita em locais públicos, como praças, escolas e locais de grande aglomeração. 

“O objetivo é criar condições para que cada município, através de uma parceria com uma empresa provedora de internet que se interesse pelo negócio, possa viabilizar essa infraestrutura de fibra óptica para a população”, explicou o secretário de  Assuntos Estratégicos, Edson Casagrande. 

A Copel tem pelo menos um ponto de fibra em cada um dos 399 municípios paraenses, em 366 dos quais o acesso a internet para a população não passa de 25% dos habitantes.

“Tendo a banda larga disponível, aumenta-se a concorrência das empresas e o serviço melhora”, enfatiza o secretário Casagrande. 

Os provedores terão redução de 95% no ICMS cobrado de mercadorias adquiridas para implantar a rede, desde que o equipamento seja fabricado no Paraná. 

Em nota, o governo paranaense não informou o valor da a alíquota, ou as alíquotas, nem os valores do financiamento do Fomento Paraná, indicando apenas que este será “abaixo do mercado”, o que provavelmente significa juros pela TJLP.

A principal beneficiada pela exigência do selo “made in Paraná” deve ser a multinacional taiwanesa Delta Greentech, que fabrica equipamentos de telecomunicações em Curitiba.

PILOTO 

Um projeto piloto da Rede 399 está em desenvolvimento na cidade de Matinhos, no Litoral do Estado. 

A prefeitura do município gasta, em média, R$ 50 mil por mês em fornecimento de internet e telefonia. Segundo o prefeito Eduardo Antônio Dalmora, o custo deve diminuir pela metade, já que agora terão mais opções de banda larga. 

“Tenho certeza que vai diminuir os custos. É um projeto importantíssimo para o nosso município e poderemos ligar todos os nossos órgãos, como postos de saúde, escolas, todos com internet em tempo real”, avalia o prefeito. 

Dalmora também afirmou que a intenção será disponibilizar a internet pública para a população, em horários alternados ao do funcionalismo.