A ferramenta será disponibilizada no site da operadora e, posteriormente, no aplicativo Minha Oi. Foto: Divulgação.

A Oi está em fase de desenvolvimento de um chatbot com inteligência artificial para o atendimento de seus assinantes. 

De acordo com o MobileTime, a ferramenta será disponibilizada inicialmente no site da operadora e, posteriormente, no aplicativo Minha Oi para dispositivos Android e iOS.

O foco inicial do sistema deve ser a resolução de problemas relativos às contas dos usuários. 

Apesar de não ter data de lançamento, o chatbot deve ser apresentado em 2018. 

O novo chatbot usará o Watson, plataforma de inteligência cognitiva da IBM, e outras ferramentas de aprendizado de máquinas. 

O MobileTime relata que Oi criou uma espécie de broker de APIs, que ficará posicionadA entre o front-end e os diferentes fornecedores de plataformas de inteligência artificial. A proposta é ter um robô que possa comparar várias soluções simultaneamente, direcionando algumas perguntas para o Watson, por exemplo, e o restante para outras plataformas.

A operadora já tem experiência com sistemas de atendimento automatizado mais simples.

Em novembro, a Oi lançou um assistente virtual no Twitter que permite aos clientes da operadora atendimento privado via Mensagens Diretas. 

O serviço foi desenvolvido a partir da Twitter Business Solutions - plataforma do Twitter para facilitar a comunicação entre marcas e consumidores.

Mesmo debilitada por uma crise interna, a Oi seria um competidor de porte e com capilaridade em um mercado muito fragmentado hoje em dia.

O Brasil conta hoje com pelo menos 56 empresas que desenvolvem chatbots. Juntas, as companhias já produziram cerca de 8 mil bots que trafegam aproximadamente 500 milhões de mensagens por mês.

As informações são de um levantamento realizado pelo MobileTime para mapear o ecossistema brasileiro de bots. Os dados foram coletados através de um questionário online em outubro e consolidados junto com informações de matérias publicadas pelo portal ao longo de 2017.

De acordo com o estudo, 45% dos desenvolvedores de bots no Brasil são de pequeno porte, com no máximo 10 robôs publicados, o que reforça o potencial do mercado para a Oi.

No final de novembro, a justiça do Rio de Janeiro voltou a adiar a assembleia de credores da Oi e manteve decisão de impedir alguns diretores da companhia de interferirem no processo. A primeira convocação da reunião, que pode decidir o futuro da operadora responsável pelo maior pedido de recuperação judicial da história do país, foi adiada para 19 de dezembro.

O programa de mediação da operadora envolve detentores de dívidas de até R$ 50 mil da empresa. A Oi entrou com pedido de recuperação em junho do ano passado, listando 55 mil credores e dívidas de mais de R$ 64 bilhões.