John Stewart, senior vice-president, chief security and trust officer da Cisco. Foto: Divulgação.

Assim como a maior parte das empresas tradicionais de tecnologia, a Cisco tem passado por uma transformação de ofertas e modelo de negócios. 

A empresa busca reforçar sua imagem como fornecedora de soluções de segurança no modelo de assinaturas e fugir do foco em hardware.

Um dos objetivos da companhia hoje é ganhar novos clientes e aumentar projetos na base instalada com sua "plataforma inteligente e segura para a digitalização" para acompanhar a tendência de transformação digital.

Lançada em 2017, a plataforma atua com os pilares de nuvem (para administração de ambientes multi-cloud), network (rede intuitiva e inteligente), dados (analytics), segurança e experiência do cliente.

Apesar de citar a área tradicional de network, a plataforma abrange a rede intuitiva da Cisco, lançada no ano passado como o anúncio mais importante da empresa nos últimos dez anos. 

O sistema inclui recursos de segurança, gerenciamento autônomo, machine learning e nuvem.

"O foco está grande em segurança porque as áreas de infraestrutura e segurança estão se unindo. No futuro, a ideia é a infraestrutura contar com recursos para proteger a si mesma", destaca John Stewart, senior vice-president, chief security and trust officer da Cisco.

Segundo ele, apesar de parecer novo, o trabalho em segurança é antigo internamente na companhia.

"Estamos trabalhando nisso por algum tempo, mas para o trabalho escalar, com uma rede de parceiros do tamanho da que a Cisco tem, é preciso cuidado. Pode parecer novo, mas estamos construindo esse portfólio há muito tempo", reforça.

Ele explica que a empresa vê nos clientes a necessidade de contar com um único fornecedor estratégico de segurança.

"As empresas chegam a ter hoje 40 fornecedores de segurança e pedem algo integrado e completo que possa ser feito por um único parceiro estratégico. Já temos muitos exemplos de clientes em que somos o principal fornecedor de segurança", completa Stewart.

Para completar o portfólio de segurança, a Cisco adquiriu em agosto a Duo Security por US$ 2,35 bilhões.

A solução da Duo Security segue o modelo zero-trust, que verifica a identidade dos usuários e a integridade de seus dispositivos antes de conceder acesso a aplicativos. Com a aquisição, a empresa buscou a integração de plataformas de segurança em nuvem, dispositivos e a rede da Cisco com os produtos de acesso e autenticação da Duo Security.

"O negócio com a Duo só foi possível após desenvolvermos um portfólio com soluções como Umbrella, next-generation firewall e outras, para então pensarmos nos próximos passos. Temos clientes com diferentes ideias de como querem operar sua segurança, seja com data center próprio, servidores 100% em nuvem, forte defesa do perímetro ou modelo zero-trust, que passamos a atender com a Duo", explica o chief security officer.

No Brasil, a empresa conta com clientes da Duo a partir de negócios fechados antes da aquisição. Após a compra pela Cisco, ainda não foram fechados novos negócios, pois a integração da compra ainda é nova.

* Júlia Merker participou do Cisco Live Latam 2018, no México, a convite da Cisco.