Sinal nas praias gaúchas piorou. Foto: flickr.com/photos/vertruelle.

Piorou. Se em anos anteriores, o sinal 3G no litoral gaúcho já era motivo de reclamações entre os clientes das operadoras, no verão 2014 a situação ficou ainda mais crítica.

Segundo uma pesquisa divulgada pelo jornal Zero Hora, todas as operadoras tiveram velocidades de download bem abaixo dos 1Mbps previsto para o serviço. O upload também caiu. Os testes foram realizados nas praias de Tramandaí, Capão da Canoa, Xangri-Lá e Torres.

Pela primeira vez, o teste encontrou uma cidade do litoral (Tramandaí) que conta com sinal de internet das quatro principais operadoras - TIM, Claro, Vivo e Oi. No entanto, a qualidade do sinal caiu bastante na cidade.

Se em 2013, a 3G da Vivo atingia picos de 1,02 Mbps na cidade, este ano não passou dos 195 KBps. A Oi, outra que participou do teste no ano anterior, baixo de 954 Kbps para apenas 6 Kbps. Estreantes no município, Claro ficou com download de 52,4 Kbps e TIM não passou dos 102 Kbps.

Em Xangri-Lá, as três operadoras presentes (TIM não tem sinal) não passaram dos 49,6 Kbps de download (Claro) e 42,6 Kbps de upload (Vivo). Já em Capão da Canoa, Vivo e TIM tiveram quedas graves na qualidade do sinal, enquanto a TIM estreou no balneário. A Claro não tem sinal 3G no município.

Em Capão, a queda da velocidade no serviço da Vivo foi o mais alto. De 1,2 Mbps de download registrado em 2013, agora o teste apontou apenas 12,5 Kbps.

Em Torres, município que em 2013 teve as velocidades mais baixas das operadoras, o sinal 3G ficou ainda pior. No caso da Claro e Oi, as velocidades de download ficaram em 3,7 Kbps e 3,4 Kbps respectivamente. A Vivo registrou 13,5 Kbps, enquanto a TIM não oferece o serviço na cidade.

Segundo analistas, os investimentos realizados pelas operadoras em 2013 não foram suficientes para suportar a demanda de clientes de dados, que tiveram um aumento de aproximadamente 40% no ano, segundo dados do Teleco.

Em novembro de 2013, o país chegou a mais de 88 milhões de aparelhos 3G ativados.

Embora as redes 3G fiquem ociosas no litoral durante o ano, na época de veraneio o pico de usuários sobrecarrega a rede, resultando em velocidades mínimas no acesso à web.

"As operadoras têm sinal, mas não capacidade suficiente para atender à demanda concentrada. Durante o ano, não tem ninguém usando. No verão há congestionamento na rede", afirmou o presidente do Teleco, Eduardo Tude, ao jornal gaúcho.

Em resposta ao resultado dos testes, a Oi destacou que investiu R$ 287 milhões no Rio Grande do Sul em 2013, para expandir sua rede de telefonia móvel 2G, 3G e Wi-Fi.

"No Rio Grande do Sul, a Oi reforçou sua cobertura de rede móvel em pontos do litoral que concentram as maiores festividades da região e que recebem milhares de turistas para as férias de verão, como Imbé, Xangri-lá e Torres", afirmou a operadora em comunicado.

Em resposta à Zero Hora, a Vivo explicou que ampliou a capacidade de 71 estações e realizou a instalação de nove antenas, atendendo Torres, Tramandaí, Capão da Canoa, Xangri-lá e Balneário Pinhal.

A Claro não deu maiores detalhes sobre os investimentos para o litoral, mas destacou que instalou antenas que expandem a capacidade da rede local nas praias.

Por sua vez, a TIM citou a instalação em Tramandaí de uma nova antena 3G em agosto do ano passado. Capão da Canoa e Torres têm 3G desde janeiro de 2013. Para ampliar o atendimento, a operadora colocou ERBs móveis 3G em Imbé, Remanso e Atlântida.