Os notebooks com Windows 10 travarão em uma batalha pesada com os Chromebooks em 2015. Foto: Divulgação.

Os notebooks com Windows 10 travarão em uma batalha pesada com os Chromebooks pela liderança de mercado neste ano. Quem irá se beneficiar dessa guerra será a venda de PCs, não importa qual seja o vencedor.

Os envios globais de PCs devem cair 3,3% neste ano, uma taxa menor do que a esperada até pouco tempo. 

Para 2016, a previsão é de uma queda de “apenas” 1,8%, graças justamente aos computadores com Windows 10 e Chromebooks, segundo a consultoria IDC. 

Em 2014, as vendas de PCs caíram 4,7% em relação ao ano anterior.

Para a IDC, o lançamento do Windows 10 pode ter apelo junto às empresas que querem fazer upgrade dos seus computadores mas deixaram passar o criticado Windows 8.

Isso porque o Windows 10 corrige muitas das reclamações direcionadas ao Windows 8, e sua versão preview já recebeu reviews positivos, de acordo com a empresa.

O sistema pode se sair bem no mercado dos EUA, mas é difícil projetar se os consumidores farão o upgrade das máquinas imediatamente.

A adoção dependerá, em grande parte, da estratégia da Microsoft para distribuir o sistema: ou seja, se a empresa vai oferecê-lo como um upgrade gratuito ou irá cobrar por isso.

Caso o Windows 10 seja gratuito, as pessoas podem escolher não fazer o upgrade do hardware, diz a IDC.

A Lenovo e a Dell já emitiram comunicados positivos sobre o Windows 10, dizendo que os consumidores estão ansiosos para fazer o upgrade para o novo sistema, especialmente após o controverso Windows 8.

Um dos principais apelos do Windows 10, aliás, é a volta do menu Iniciar e um foco maior no desktop.

Mas o Windows 10 enfrenta um desafio por conta dos Chromebooks, que estão ganhando força, e ajudaram as vendas de PCs no último trimestre de 2014. 

Esses computadores foram populares principalmente entre estudantes e consumidores durante as festas de final de ano. Eles devem aumentar seu apelo à medida que mais pessoas migram para a computação baseada na web.

As vendas de PCs totalizaram 80,8 milhões de unidades durante o quarto trimestre, uma queda de apenas 2,1% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. Entre todas as máquinas, os notebooks responderam por cerca de 50% a 55% (e, desse número, entre 4% e 6% eram Chromebooks).

Muitos Chromebooks custam menos do que US$ 250 e são cheios de recursos, o que os torna atrativos.

A Microsoft está tentando batalhar com o Chrome OS por meio de uma série de notebooks e desktops de baixo custo que rodam o Windows 8 com o Bing, que é licenciado sem custo para as fabricantes. 

Esses laptops de baixo custo possuem capacidade mínima de armazenamento e são voltados principalmente para pessoas que não precisam recursos de computação mais pesados, e usam os aparelhos principalmente para navegar na web, acessar redes sociais e armazenar documentos online.