Pessoas afetadas pelas chuvas. Foto: Reprodução/Prefeitura de Teixeira de Freitas

Tamanho da fonte: -A+A

O Google.org, braço filantrópico do Google, fez uma doação de R$ 550 mil a organizações que têm trabalhado nas regiões afetadas pelas enchentes e tempestades no sul da Bahia e Minas Gerais.

Metade do dinheiro foi para a ONG Gerando Falcões, que ajuda a levar apoio em alimentação, infraestrutura, material de higiene e limpeza à população impactada com o apoio de entidades locais. Mais de duas mil pessoas, cerca de 500 famílias, serão beneficiadas.

A outra metade foi para o Center for Disaster Philanthropy, uma organização global especializada em doações para organizações sem fins lucrativos. O dinheiro será usado para fornecer recursos a organizações presentes nas regiões atingidas.

Segundo o último boletim da Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec), já morreram 26 pessoas e outras 523 ficaram feridas pelas enchentes. 

Além disso, 27.210 pessoas estão desabrigadas e o total de atingidos na Bahia chega a mais de 856 mil.

Em Minas Gerais, o balanço da Defesa Civil apontou 19 mortes em decorrência das chuvas e mais de 17 mil pessoas afetadas. 

Outras empresas também fizeram doações aos atingidos pelas chuvas. 

O iFood arrecadou pelo aplicativo mais de R$ 1,7 milhão ao fazer duas campanhas, uma com o grupo Ação Cidadania e outra com o Cufa. Ao fazer um pedido, o usuário pode optar por ajudar as vítimas das enchentes.  

A marca de bebidas Johnnie Walker, por meio do Instituto Diageo, doou 100 toneladas de alimentos à população. A doação beneficiou cerca de 40 mil famílias. Já a Mondelēz Brasil, dona da Lacta, doou R$ 600 mil em cestas básicas e itens essenciais.

Outra empresa que decidiu fazer a doação de alimentos foi a Americanas S.A. Ela entregou 75 toneladas de alimentos e água para os municípios mais afetados da Bahia.