Ministério da Saúde criou perfis falsos no Tinder para alertar sobre o uso da camisinha. Foto: Divulgação.

O Tinder não ficou feliz com a ação do Ministério da Saúde, divulgada nessa semana, de criar perfis falsos no app para promover a conscientização sobre o uso da camisinha.

A campanha consistiu em criar perfis no aplicativo que afirmavam procurar pessoas para sexo, “de preferência sem camisinha”. 

Quando um usuário registrava interesse pelo perfil, a conta falsa fazia o mesmo, o que iniciava o seguinte bate-papo: 

“E aí, curte sexo sem camisinha?”. Após responder, o usuário recebia a mensagem: “Olha, é difícil saber quem tem HIV. Se divirta, mas se proteja. Essa é uma ação do Ministério da Saúde”.

No Twitter, Rosette Pambakian, executiva de comunicação corporativa do Tinder, declarou, mencionando o Ministério:

“Nós vamos apagar os perfis, já que eles violam nossos termos de serviço. Vocês não estão autorizados a fazer propaganda no Tinder”. Depois, o tweet foi apagado.

O ministério disse à Folha que “os termos de uso do Tinder só falam de uso comercial, e a nossa campanha foi uma iniciativa de utilidade pública”. 

Também foi informado que os perfis falsos haviam sido apagados há semanas. 

“A ação contou com um projeto piloto nos dias 23 e 24 de janeiro em Brasília, sendo estendida para o Rio de Janeiro (30 e 31 de janeiro) e Salvador (31 de janeiro e 01 de fevereiro). Nessas ações foram realizadas mais de duas mil interações com o público-alvo. Os locais visitados foram bares, boates LGBT e shows”, relatou, em nota, o Ministério.

Além do Tinder, a campanha foi realizada também no aplicativo Hornet, ferramenta de paquera voltada para o público gay masculino.

Segundo o The Verge, esta não foi a primeira vez que Tinder e outros aplicativos de namoro foram usados para campanhas voltadas à saúde.

Em novembro, uma agência de publicidade da Irlanda criou perfis falsos para aumentar a conscientização sobre o tráfico sexual. Já no início do ano passado, uma agência de publicidade israelense lançou uma campanha para promover o sexo seguro.